Relações com Investidores

FATO RELEVANTE

A Companhia Siderúrgica Nacional (BOVESPA: CSNA3; NYSE: SID) ("CSN" ou "Companhia"), em atendimento ao disposto no Artigo 157, §4º, da Lei nº 6.404/76, conforme alterada e na Instrução da Comissão de Valores Mobiliários ("CVM") nº 358/02, conforme alterada, informa a seus acionistas e ao mercado em geral que:

1- Em caráter excepcional, não arquivará junto à CVM as Demonstrações Financeiras referentes ao exercício findo em 31/12/2016 ("DFs 2016") no prazo previsto na Instrução CVM 480/09, em função da revisão do tratamento contábil acertado à operação realizada pela Companhia em 30 de novembro de 2015, que resultou na combinação de negócios das atividades de mineração e logística correlata, sem modificação da sua estrutura negocial.

2- Referida revisão impactará as Demonstrações Financeiras referentes ao exercício social encerrado em 31 de dezembro de 2015 e consequentemente impactará os saldos de abertura dos números das DFs 2016.

3- Dada a complexidade técnica do assunto e que ainda se encontram em andamento trabalhos de revisão, com o acompanhamento dos auditores externos, não será possível o fechamento das DFs 2016 no prazo previsto na legislação aplicável, o que implicará em atraso em sua divulgação.

4- Consequentemente, a Assembleia Geral Ordinária e Extraordinária a ser realizada em 28 de abril de 2017, deliberará sobre as seguintes matérias: (i) fixar o número de membros do Conselho de Administração e eleger seus membros; (ii) fixar a remuneração anual global dos administradores para o exercício de 2017; e (iii) deliberar sobre a proposta de alteração e consolidação do Estatuto Social da Companhia. Dessa forma, as demais matérias atribuídas à Assembleia Geral Ordinária, como tomar as contas dos administradores, examinar, discutir e votar as Demonstrações Financeiras e deliberar sobre a destinação do resultado do exercício social, serão objeto de deliberação em Assembleia Geral Extraordinária a ser oportunamente convocada.

5- A Companhia está empenhada em divulgar as DFs 2016 revisadas pelos auditores externos o mais breve possível. Entretanto, considerando o dever de informar e agindo com diligência e transparência, a Companhia decidiu antecipar ao mercado os principais indicadores operacionais do exercício findo em 31 de dezembro de 2016, ainda não revisados pelos nossos auditores independentes, números esses que não são afetados pelos potenciais ajustes que podem vir a ser feitos em decorrência das revisões que estão em andamento, conforme abaixo:

Destaques 3T16 4T16 2015 2016 Variação
4T16 x 3T16 2016 x 2015
Vendas de Aço (mil toneladas) 1.172 1.187 4.990 4.857 1% (3%)
- Mercado Interno 62% 62% 59% 57% - (2%)
- Subsidiárias no Exterior 34% 34% 37% 37% - -
- Exportação 4% 4% 4% 6% - 2%
Receita Líquida por Tonelada (R$/t) 2.446 2.495 2.245 2.370 2% 6%
Vendas de Minério de Ferro (mil toneladas)1 10.230 9.191 25.669 36.983 (10%) 44%
- Mercado Interno 11% 14% 2% 11% 3% 9%
- Mercado Externo 89% 86% 98% 89% (3%) (9%)
Receita Líquida por Tonelada (USD/t) 39 45 38 36 15% (5%)
Resultados Consolidados (R$ milhões)
Receita Líquida 4.469 4.519 15.262 17.149 1% 12%
EBITDA Ajustado2 1.239 1.249 3.251 4.075 1% 25%
Siderurgia 552 545 1.791 1.887 (1%) 5%
Mineração 599 511 1.171 1.759 (15%) 50%
Logística 161 163 532 604 1% 14%
Ferroviário 152 137 469 550 (10%) 17%
Portuário 9 26 63 54 189% (14%)
Cimento 4 2 75 22 (50%) (71%)
Energia 17 17 43 65 - 51%
Eliminações (95) 12 (361) (262) (113%) (27%)
Resultados Financeiro (R$ milhões)
Resultado Financeiro Gerencial4 (780) (711) (2.265) (2.684) (9%) 18%
Resultado c/ Variação Cambial (74) 14 416 89 (119%) (79%)
CAPEX 383 452 2.182 1.632 18% (25%)
Dívida Líquida Ajustada3 25.842 25.831 26.499 25.831 - (2%)
Caixa/Disponibilidades Ajustadas3 5.663 5.762 8.862 5.762 2% (35%)
Dívida Líquida / EBITDA Ajustado2 7,4X 6,3X 8,2X 6,3X (1,1X) (1,9X)

1 Volume de venda de minério de ferro inclui 100% de participação na Namisa até novembro/15 e 100% de participação na Congonhas Minérios a partir de dezembro/15. A partir de dezembro/15, o volume de vendas de minério de ferro inclui as vendas para a UPV.
2 O EBITDA Ajustado é calculado a partir do lucro/prejuízo líquido, acrescido das depreciações e amortizações, dos tributos sobre o lucro, do resultado financeiro líquido, do resultado de participação em investimentos, do resultado de outras receitas/despesas operacionais e inclui a participação proporcional do EBITDA das controladas em conjunto MRS Logística e CBSI. O EBITDA Ajustado inclui a participação de 60% na Namisa, 33,27% na MRS e 50% na CBSI até novembro/15 e 100% na Congonhas Minérios, 37,27% na MRS e 50% na CBSI a partir de dezembro/15.
3 A Dívida Líquida Ajustada e o Caixa Ajustado consideram 33,27% da participação na MRS, 60% na Namisa e 50% na CBSI até novembro/15. A partir de dezembro/15 passaram a considerar 100% da Congonhas Minérios, 37,27% da MRS e 50% da CBSI, além de não considerar operações de Forfaiting e Risco Sacado.
4 O resultado Financeiro Gerencial considera participações de 60% na Namisa, 33,27% na MRS e 50% na CBSI até novembro/15 e de 100% na Congonhas Minérios, 37,27% na MRS e 50% na CBSI, a partir de dezembro/15.

Tão logo haja uma definição sobre a data da conclusão dos trabalhos, com o relatório de revisão dos auditores externos, a Companhia comunicará ao mercado.

São Paulo, 27 de março de 2017.

David Moise Salama
Diretor Executivo de Relações com Investidores