Relações com Investidores

Estímulos para debêntures e ETFs

08/07/2014

O pacote de medidas para incentivar o mercado de capitais anunciado pelo ministro da Fazenda Guido Mantega no mês passado não se restringiu a promover o segmento acionário (leia mais). Beneficiou também a emissão de debêntures de infraestrutura, estendendo o benefício fiscal desses títulos, que expirava em 2015, para o fim de 2020.

Os ETFs de renda fixa também ganharam regalia. O investimento em fundo de índice não sofrerá a incidência do "come-cotas"; será tributado apenas no resgate da aplicação. A cobrança de imposto será regressiva de acordo com o prazo médio dos títulos em carteira, favorecendo aquelas com papéis mais longos.

Autor: Yuki Yokoi

Fonte: Revista Capital Aberto - Edição 131 - Julho de 2014

Link: http://bit.ly/1soAi5b