Bolsa

Comentários sobre o Mercado

14/12/2015

  • Os índices futuros norte-americanos sinalizaram uma abertura em linha ou com ligeira queda na segunda-feira apesar de o petróleo ter atingido o seu preço mais baixo nos últimos anos enquanto os investidores aguardam a reunião do Fed desta semana. As ações europeias registraram queda em sua maioria, enquanto as ações asiáticas tiveram um comportamento variado.
  • Os investidores começam a semana com a perspectiva de um aumento na taxa de juros dos Estados Unidos, o que deve dar o tom para os mercados na entrada de 2016. Não só o Fed irá decidir se aumentará a taxa de juros pela primeira vez em uma década, mas também buscará assegurar investidores sobre a provável trajetória de aumentos dessa taxa no futuro.
  • O Twitter emitiu seu primeiro aviso sobre uma possível invasão realizada por grupos apoiados pelo governo americano.
  • A presidente Dilma Rousseff informou à ministra da Agricultura, Kátia Abreu, que só vai sancionar lei autorizando a compra de terras por estrangeiros se o texto estipular limites bem definidos para o tamanho das propriedades. A bancada ruralista aceitou, então, alterar sua proposta e o líder do grupo, deputado Marcos Montes (PSD-MG), apresentou um substitutivo. O texto limita a 200 mil hectares "líquidos", ou seja, utilizáveis, por empreendimento e por Estado, a propriedade a que cada empresa estrangeira terá direito (100 mil ha. para compra e 100 mil ha. para arrendamento). Áreas de reserva legal e de preservação permanente não entram no cálculo.
  • A montadora de origem chinesa Chery não deve ocupar nem 10% da capacidade de produção de 50 mil carros/ano de sua nova fábrica de Jacareí, no interior de São Paulo. A holandesa DAF está produzindo, em média, dois caminhões por dia na fábrica que completou dois anos em Ponta Grossa (PR), enquanto a International já fechou a fábrica de Canoas (RS), inaugurada em junho de 2013. A Suzuki também fechou a linha de Itumbiara (GO) e transferiu a produção do jipe Jimny para Catalão (GO), onde está o parque industrial da Mitsubishi, que tem no Brasil o mesmo controlador. Esses são exemplos de como empresas do setor automotivo readaptaram fábricas inauguradas no país nos últimos anos, coincidindo com fase de encolhimento dramático do mercado consumidor.
  • Embora ainda não tenha decidido qual será a meta de superávit primário para 2016, a tendência da presidente Dilma Rousseff é escolher "um número intermediário" entre 0,7% do Produto Interno Bruto (PIB) e zero, informaram ontem fontes qualificadas do governo. A meta fiscal terá que constar da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO), que o governo espera votar na sessão do Congresso Nacional marcada para amanhã. As mesmas fontes disseram que a presidente Dilma Rousseff recebeu uma avaliação de seus ministros políticos de que a base aliada do governo é, majoritariamente, contrária à meta de superávit primário de 0,7% PIB, pois entende que sua obtenção significará cortes em programas sociais e em investimentos essenciais.

Índices

Nome

Atual

%Variação

Dow Jones Industrial Average

17.211,00

0,19%

S&P 500 Index

2.006,75

0,27%

Nasdaq Composite Index

4.538,00

0,12%

Ibovespa

44.717,34

-1,20%

Índices Globais

Japão: Nikkei

18.883,42

-1,80%

China: Shanghai

3.685,94

2,51%

Hong Kong: Hang Seng

21.309,85

-0,72%

Alemanha: DAX

10.288,27

-0,50%

França: CAC 40

4.545,97

-0,08%

Londres: FTSE

5.967,37

0,25%

Commodities

Petróleo Bruto WTI (NYM $/bbl)

$35,29

-0,93%

Ouro ($/oz)

$1.072,30

-0,32%