Bolsa

Comentários sobre o Mercado

18/11/2015

  • O Stoxx Europe 600 caiu 0,4%. As pequenas perdas, influenciadas pelo desempenho negativo das ações das companhias aéreas, seguiram uma alta na terça-feira apesar de um cenário geopolítico mais incerto depois do ataque terrorista em Paris ter matado 129 pessoas. As perdas foram mitigadas após uma batida policial em Paris, que terminou em duas mortes.
  • O índice de construção de residências novas nos EUA caiu 11% em relação ao mês passado, chegando a uma taxa anual ajustada sazonalmente de 1,06 milhão em outubro, de acordo com os dados da quarta-feira. Novos pedidos de licença de construção, um termômetro para a construção residencial no futuro, cresceram 4,1%, chegando a uma taxa anual ajustada sazonalmente de 1,15 milhão. Os economistas pesquisados pelo The Wall Street Journal esperavam que o índice de construção de residências novas de outubro chegasse a 1,16 milhão, e as licenças de construção atingiram 1,14 milhão.
  • O dia 25 de julho deste ano foi um marco na história da matriz energética da Alemanha: 78% da demanda de energia do país foram atendidos por fontes renováveis. No total, a produção foi de quase 48 gigawatts, o equivalente ao que produzem 50 usinas de carvão. A mudança energética alemã acontece de forma contínua. Quase um mês antes, em 27 de junho, foi suspensa a operação da usina nuclear de Grafenrheinfeld. O reator, que funcionou por 33 anos, teria condições técnicas de gerar energia por mais duas décadas. Mas a decisão de fechá¬-lo foi política, tomada pelo governo da chanceler alemã Angela Merkel, cuja meta é não usar mais a energia nuclear.
  • A retração da economia e a menor perspectiva de lucro por parte das empresas estão fazendo com que o cenário de arrecadação de impostos em 2015 piore ainda mais, revelam dados da Receita Federal. Segundo os técnicos do órgão, os números sofrem influência de uma queda da atividade observada "em todos os setores". No acumulado de janeiro a outubro, a Receita Federal obteve R$ 1,004 trilhão, queda real de 4,54% em relação a igual período no ano passado e o menor valor nessa comparação desde 2010. Até setembro, a queda no acumulado do ano era mais branda (3,72%). A piora foi resultado de recuo expressivo em outubro ¬ 11,33%, na comparação com um ano antes (para R$ 103,53 bilhões), o que representou o pior mês de outubro desde 2009.
  • Mobilizada como em poucas oportunidades na atual gestão da presidente Dilma Rousseff, a base aliada ao governo conseguiu ontem colocar em prática o plano de tentar aprovar rapidamente no Congresso Nacional a mudança da meta fiscal para este ano. Em votação acelerada, a Comissão Mista de Orçamento (CMO) deu aval ao parecer que autoriza a União a fechar as contas de 2015 com um déficit de até R$ 119,9 bilhões.

Índices

Nome

Atual

%Variação

Dow Jones Industrial Average

17.514,00

0,33%

S&P 500 Index

2.055,25

0,31%

Nasdaq Composite Index

4.586,75

0,38%

Ibovespa

47.534,58

1,17%

Índices Globais

Japão: Nikkei

19.649,18

0,09%

China: Shanghai

3.737,03

-1,01%

Hong Kong: Hang Seng

22.188,26

-0,34%

Alemanha: DAX

10.985,69

0,13%

França: CAC 40

4.916,80

-0,42%

Londres: FTSE

6.276,61

0,13%

Commodities

Petróleo Bruto WTI (NYM $/bbl)

$41,21

1,33%

Ouro ($/oz)

$1.068,20

-0,04%