Bolsa

Comentários sobre o Mercado

13/11/2015

  • Após dois meses de estabilidade nas vendas, as vendas no varejo nos Estados Unidos subiram apenas 0,1% em outubro em relação ao mês anterior, afirmou o Departamento do Comércio na sexta-feira. Os economistas esperavam um aumento de 0,3% no mês passado.
  • Em um movimento destinado a conter apostas alavancadas no mercado de ações, a China irá aumentar suas exigências de margem de 50% para 100% a partir de 23 de novembro.
  • A Cisco, que registrou queda de 4,4% antes da abertura do mercado, desvalorizou após a publicação dos seus resultados. O 1T fiscal ficou em linha com as expectativas. No entanto, a Companhia destacou algumas deficiências macro, com queda de 3% ano-a-ano nos pedidos corporativos (sendo que essa queda foi concentrada na Europa e Ásia-Pacífico). Condições macro e de câmbio desfavoráveis são esperadas para o trimestre que começa em janeiro e a Companhia forneceu um guidance de crescimento de receita de -0,2% ano a ano.
  • A presidente Dilma Rousseff (PT) apresentou ontem uma lista de cobranças que, segundo ela, devem ser feitas à mineradora Samarco pelos danos causados em função do rompimento de duas de suas barragens em Minas Gerais. "As empresas têm de ser responsabilizadas por várias coisas. Primeiro pelo atendimento emergencial da população segundo, por buscas de soluções mais estáveis, mais perenes e, terceiro, pela reconstrução e pela capacidade de resolver a vida de cada afetado por esse desastre", disse a presidente em entrevista coletiva em Governador Valadares (MG).
  • O ex¬-presidente dos Estados Unidos Bill Clinton minimizou ontem a gravidade da crise brasileira e transmitiu uma mensagem de otimismo sobre as perspectivas da economia. "O barco do Brasil não está afundando", disse Clinton a quase 2 mil empresários, no discurso de encerramento do Encontro Nacional da Indústria. Em tom de palestra motivacional, o ex¬-líder do Partido Democrata reconheceu que o momento político e econômico do país pode soar "desafiador", mas ressaltou que "há poucos lugares" no mundo para ser tão otimista como o Brasil.
  • O prefeito de São Paulo, Fernando Haddad (PT), autorizou a negociação de pedidos de financiamentos externos no valor total de US$ 1 bilhão. O principal destino seriam obras de drenagem e assentamento que deverão beneficiar principalmente a população da periferia. O financiamento poderá ser uma alternativa para compensar a redução de repasses do governo federal dentro do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). O pedido de financiamento é o principal efeito do grau de investimento concedido na terça¬-feira pela agência de classificação de riscos Fitch. De acordo com a agência, os ratings refletem o efeito esperado com a lei que alterou o indexador da dívida de Estados e municípios com a União.
  • A tramitação do novo Código de Mineração na Câmara ignorou até agora propostas de mudanças na legislação do setor que obrigariam as empresas a contratar seguro ambiental para projetos com potencial de contaminação da água ou do solo. O relator do projeto, deputado Leonardo Quintão (PMDB¬ MG), rejeitou no ano passado duas emendas que propunham a exigência desse tipo de seguro. Após o trágico rompimento da barragem da Samarco, Quintão recuou.
  • A Petrobras informou ontem que, no terceiro trimestre, teve prejuízo de R$ 3,76 bilhões, acima do esperado pelo mercado. Apesar disso, o balanço da estatal trouxe algumas notícias positivas. O custo de extração de petróleo caiu 46% de julho a setembro, comparado ao mesmo período do ano passado. O lucro operacional, que é o resultado antes de contabilizadas as despesas financeiras e os tributos, foi de R$ 6,25 bilhões, ante prejuízo de R$ 4,85 bilhões no terceiro trimestre de 2014. Outro fator positivo é que, no fim de setembro, o caixa estava em R$ 104,2 bilhões, um aumento de 13,7% em relação à posição de junho. O resultado financeiro líquido, afetado fortemente pela desvalorização do real, chegou a R$ 11,4 bilhões, principal responsável pelo prejuízo da empresa.

Índices

Nome

Atual

%Variação

Dow Jones Industrial Average

17.367,00

-0,18%

S&P 500 Index

2.038,50

-0,10%

Nasdaq Composite Index

4.573,75

-0,25%

Ibovespa

46.431,11

-0,97%

Índices Globais

Japão: Nikkei

19.596,91

-0,51%

China: Shanghai

3.749,89

-1,44%

Hong Kong: Hang Seng

22.396,14

-2,15%

Alemanha: DAX

10.711,86

-0,66%

França: CAC 40

4.804,14

-1,08%

Londres: FTSE

6.122,08

-0,92%

Commodities

Petróleo Bruto WTI (NYM $/bbl)

$41,55

-0,48%

Ouro ($/oz)

$1.081,70

0,06%