Bolsa

Comentários sobre o Mercado

26/10/2015

  • A Xerox divulgou resultados acima das expectativas, embora a receita tenha ficado abaixo do esperado, prejudicada pela queda nas vendas de impressoras e pelo dólar forte.
  • A Duke Energy está comprando a Piedmont por US$4,9 bilhões, ou US$60 por ação, à vista.
  • A GM chegou a um acordo provisório com o sindicato dos trabalhadores do setor automobilístico, evitando uma possível greve.
  • O Deutsche Bank agora é objeto de uma investigação mais ampla pelos órgãos reguladores dos EUA, de acordo com o Financial Times.
  • O Índice de Confiança do Consumidor (ICC) da Fundação Getulio Vargas (FGV) recuou 0,8% em outubro, ante setembro, para 75,7 pontos, atingindo pelo quarto mês consecutivo o menor nível da série histórica, iniciada em novembro de 2005. Em setembro, o indicador caiu 5,3%. Na comparação com outubro do ano passado, há queda de 24,6%. O ICC segue bem abaixo da média histórica, de 109,4 pontos.
  • A inflação medida pelo Índice de Preços ao Consumidor ¬ Semanal (IPC¬S) acelerou em três de sete capitais pesquisadas na terceira medição de outubro. Em Salvador, por exemplo, o IPC¬S passou de alta de 0,57% na segunda leitura do mês para 0,73% na apuração seguinte. Em Belo Horizonte, saiu de 0,53% para 0,65% de aumento e, em São Paulo, de 0,60% para 0,68% de avanço. Nas demais capitais analisadas pela Fundação Getulio Vargas (FGV), houve desaceleração na passagem da segunda para a terceira prévia de outubro. Foi o caso de Brasília, onde o IPC¬S partiu de elevação de 1,95% para 1,79%? assim como o de Recife (0,40% para 0,39%), Rio de Janeiro (0,38% para 0,33%) e Porto Alegre (0,67% para 0,61%).
  • Os investidores estrangeiros sofreram uma perda de pelo menos US$ 224 bilhões em seus capitais aplicados no Brasil de junho a setembro passado, quando o mercado financeiro foi sacudido pelas incertezas sobre a política fiscal e pelo rebaixamento da nota soberana pela Standard & Poor‘s (S&P). Segundo dados do balanço de pagamentos compilados pelo Banco Central, a crise recente provocou uma queda significativa no valor contábil do estoque de investimentos estrangeiros diretos, de aplicações em bolsas e na carteira de títulos do Tesouro negociados dentro do país. O montante total desses investimentos encolheu de US$ 1,220 trilhão em junho para US$ 995 bilhões em setembro, uma queda de 18,5%. Dois fatores principais explicam a retração: a depreciação cambial, que reduz o valor de investimentos estrangeiros feitos em reais, e a queda nas cotações de ações e títulos.

Índices

Nome

Atual

%Variação

Dow Jones Industrial Average

17.550,00

0,02%

S&P 500 Index

2.065,25

-0,04%

Nasdaq Composite Index

4.611,25

-0,01%

Ibovespa

47.546,90

-0,10%

Índices Globais

Japão: Nikkei

18.947,12

0,65%

China: Shanghai

3.591,91

0,51%

Hong Kong: Hang Seng

23.116,25

-0,15%

Alemanha: DAX

10.821,45

0,25%

França: CAC 40

4.902,60

-0,43%

Londres: FTSE

6.442,42

-0,03%

Commodities

Petróleo Bruto WTI (NYM $/bbl)

$44,34

-0,58%

Ouro ($/oz)

$1.165,20

0,21%