Bolsa

Comentários sobre o Mercado

15/10/2015

  • Os índices de futuros dos EUA apontaram para uma abertura em alta na quinta-feira, após uma alta global das ações na esperança de que a recente desaceleração dos dados econômicos dos Estados Unidos evite um forte aumento da taxa.
  • O lucro do Citigroup ficou acima das expectativas, mas as receitas ficaram abaixo das expectativas, registrando queda em relação ao mesmo período do ano passado.
  • As ações da Netflix subiram 7 centavos por ação em relação ao trimestre anterior, 1 centavo abaixo das previsões, sendo que as receitas também ficaram ligeiramente abaixo das projeções dos analistas.
  • Perto de completar dez anos, o Índice de Sustentabilidade Empresarial (ISE), da BM&FBovespa, provou-se eficiente em termos financeiros. Desde a primeira carteira, lançada em 1º de dezembro de 2005, até o fim de setembro deste ano, o ISE registra um retorno quase três vezes superior ao do Ibovespa. O referencial de companhias com boas práticas ambientais, sociais, econômicas e de governança acumula no período um ganho de 122,7% ante 41,1% da principal referência da bolsa brasileira. Entre os principais resultados ao longo dessa primeira década, o indicador tornou-se benchmark de um ETF (sigla em inglês para exchange traded fund, um fundo de índice com cotas negociadas em bolsa) e, segundo o relatório "Sistema Financeiro Nacional e a Economia Verde", da Febraban, tem servido a fundos de pensão como referência para alocações. Os investidores institucionais tinham um total de R$ 33,5 bilhões em companhias do ISE em 2013, assinala a pesquisa.
  • No rastro da desvalorização de 40% do real só em 2015, a alemã Bosch está conseguindo exportar autopeças do Brasil até para a China. As vendas para o mercado chinês ainda têm volume simbólico, mas ilustram como o câmbio melhorou a competitividade e impulsiona vendas externas mesmo para um cliente improvável e famoso pela produção barata. Entre janeiro e agosto, as exportações da Bosch do Brasil aumentaram 20%. Grande parte das transações é intragrupo, do Brasil para a Europa. Depois vêm as vendas para os EUA, de produtos como bobinas de ignição. Tambem é a partir do Brasil que o grupo abastece a América Latina. A Bosch não é só autopeças. Inclui soluções para mobilidade, tecnologia industrial, bens de consumo, energia e tecnologias prediais.
  • A Toyota está traçando uma estrada para a extinção quase total de seus carros abastecidos de forma convencional. A montadora com maior volume de vendas do mundo informou ontem que até 2050 os híbridos movidos a gás e eletricidade, híbridos plugin, carros movidos a célula de combustível e elétricos responderão pela maior parte de suas vendas. Isso significa que os carros com motores a gasolina e diesel, que atualmente representam 85% das vendas globais da Toyota, ficarão perto de zero, disse o diretor-gerente da montadora japonesa, Kiyotaka Ise.
  • A Executiva Nacional do PSB decidiu manter "independência crítica e propositiva" em relação ao governo Dilma Rousseff e não declarar apoio a processo de impeachment da presidente. A Executiva foi convocada pelo presidente do partido, Carlos Siqueira, após consulta a parlamentares e políticos da legenda, em 22 de setembro, na qual a maioria defendeu que o PSB declarasse ser oposição. Foi aprovada resolução com críticas à "agenda conservadora e regressiva" da gestão Dilma.
  • Relator do Orçamento de 2016, o deputado Ricardo Barros (PP-PR) afirmou ontem que o Bolsa Família pode sofrer cortes no ano que vem. Segundo ele, o principal programa social do governo é alvo de muitas fraudes, que, se eliminadas, podem ajudar no superávit orçamentário. "O instrumento que eu tenho é a tesoura. Quem pode aumentar a receita é o Executivo. Cortarei e farei todo o possível para que o orçamento seja superavitário", disse, em evento na Fiesp. "Cortarei no Bolsa Família porque acredito que há muita fraude, afirmou.
  • A Câmara dos Deputados aprovou ontem a Medida Provisória (MP) 680/2015, que institui o Programa de Proteção ao Emprego (PPE), lançado pelo governo no meio do ano para permitir, por meio de acordos entre sindicatos e empresas, a redução da jornada de trabalho e do salário em até 30% em setores com dificuldades por causa da crise. O texto vai ao Senado. As empresas que aderirem poderão reduzir a jornada de trabalho dos funcionários em até 30%, com redução proporcional do salário e o compromisso de não demitirem sem justa causa. O governo, por meio do Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT), complementará até metade da redução de salário, com limite de R$ 900,85 (equivalente a 65% do teto do seguro-desemprego). O trabalhador teria, então, um desconto de 15% no salário.

Índices

Nome

Atual

%Variação

Dow Jones Industrial Average

16.871,00

0,29%

S&P 500 Index

1.994,25

0,52%

Nasdaq Composite Index

4.352,25

0,60%

Ibovespa

46.988,51

0,60%

Índices Globais

Japão: Nikkei

18.096,90

1,15%

China: Shanghai

3.496,10

2,32%

Hong Kong: Hang Seng

22.888,17

2,00%

Alemanha: DAX

10.064,78

1,50%

França: CAC 40

4.666,24

1,24%

Londres: FTSE

6.331,34

0,98%

Commodities

Petróleo Bruto WTI (NYM $/bbl)

$45,90

-1,59%

Ouro ($/oz)

$1.180,80

0,08%