Bolsa

Comentários sobre o Mercado

17/09/2015

  • Os índices de futuros norte-americanos sofreram queda na quinta-feira, quando os corretores analisaram as decisões do Fed e as taxas de juros de hoje.
  • Com relação às notícias econômicas, os pedidos de auxílio-desemprego recuaram ligeiramente para 264.000. O número de residências novas caiu cerca de 3% em agosto.
  • Em relação às notícias corporativas, a Oracle divulgou um lucro por ação ajustado de US$53 esse trimestre, 1 centavo de dólar acima das expectativas. Entretanto, a receita dessa fornecedora de software ficou abaixo das projeções, como era a atual previsão de receita trimestral.
  • A GM pagará cerca de US$900 milhões para resolver uma investigação criminal sobre o tratamento dado pela montadora com relação a chaves de ignição defeituosas.
  • Líderes de quatro partidos de oposição lançaram nesta quarta-feira, em ato na Câmara dos Deputados, movimento contra a recriação da CPMF e prometeram "fechar questão" contra a proposta. A iniciativa visa impedir que deputados e senadores desses partidos de votarem favoravelmente à volta do imposto. Ao todo, PSDB, DEM, PPS e Solidariedade somam 103 deputados federais - para aprovar proposta de emenda constitucional (PEC) e recriar o imposto é preciso 308 votos na Câmara. O PSB, cujos governadores ainda estão divididos sobre o apoio, não participou do ato, que teve a presença de parlamentares de PMDB, PP e PSC.
  • Os servidores públicos farão na próxima quarta-feira, dia 23, uma paralisação por todo o país para protestar contra as medidas adotadas pelo governo federal para reverter o déficit do setor público. Na segunda-feira, dia 14, a equipe econômica apresentou uma série de medidas que atingem diretamente os servidores para conseguir reduzir os gastos do governo. Entre as iniciativas, estão o adiamento de janeiro para agosto do reajuste dos servidores públicos, suspensão de concursos e fim do abono permanência. Somente com o adiamento do reajuste dos servidores, a equipe econômica terá uma redução de gastos de R$ 7 bilhões. Como a maior parte das medidas depende do Congresso Nacional, os servidores públicos vão pressionar os parlamentares para impedir a aprovação desse pacote.
  • A Eurofarma, farmacêutica multinacional de origem brasileira, deu mais um passo em seu plano de internacionalização, com a compra neste mês da fábrica do laboratório francês Sanofi na Argentina. O valor da aquisição não foi revelado, mas segundo o site argentino especializado em informações sobre a indústria, Pharmabiz, a operação envolveria desembolso de US$ 18 milhões e um acordo de produção terceirizada para a própria Sanofi, que deixa de ter unidades fabris naquele país. Em breve comunicado, a Eurofarma confirmou o negócio e informou que a fábrica, na cidade de La Matanza, província de Buenos Aires, seguirá "sob gestão da Sanofi até que as atividades pré¬-operacionais de integração e transferência sejam concluídas". Essa fase deve durar de seis meses a um ano e, na sequência, a brasileira assumirá integralmente a operação. Os funcionários da unidade serão absorvidos pela Eurofarma.
  • Se depender do presidente e controlador Carlos Antonio Tilkian, a fabricante de brinquedos Estrela deixará a bolsa brasileira depois de 47 anos de listagem. O executivo propôs ontem uma oferta pública de aquisição de R$ 0,37 por ação para cancelar o registro de companhia aberta na Comissão de Valores Mobiliários (CVM). Tilkian, dono de 31,57% das ações da empresa, pretende adquirir todos os papéis em circulação, incluindo 284,9 mil ações ordinárias e 10,7 milhões preferenciais (PN). O prêmio é de 2,7% sobre o preço de fechamento dos papéis PN na segunda feira, a R$ 0,36. Na terça¬-feira, não houve negociação. São feitos 13 negócios diários com as ações PN na média de 2015. Depois de a Estrela publicar a decisão em comunicado, as ações PN subiram 8,33% ontem, para R$ 0,39. Sinal que o controlador pode ter dificuldade para convencer os minoritários a venderem suas participações.

Índices

Nome

Atual

%Variação

Dow Jones Industrial Average

16.629,00

-0,21%

S&P 500 Index

1.982,50

-0,28%

Nasdaq Composite Index

4.372,00

-0,21%

Ibovespa

48.497.16

-0,12%

Índices Globais

Japão: Nikkei

18.432,27

1,43%

China: Shanghai

3.232,80

-2,10%

Hong Kong: Hang Seng

21.854,63

-0,51%

Alemanha: DAX

10.235,78

0,08%

França: CAC 40

4.642,34

-0,08%

Londres: FTSE

6.193,69

-0,57%

Commodities

Petróleo Bruto WTI (NYM $/bbl)

$46,93

-0,47%

Ouro ($/oz)

$1.115,00

-0,36%