Bolsa

Comentários sobre o Mercado

19/08/2015

  • As ações norte-americanas estavam posicionadas para abrir com uma ligeira queda, pressionadas pela continuação de grandes oscilações nos mercados chineses e por relatórios de resultados fracos divulgados por empresas do setor de varejo.
  • A Staples Inc. afirmou que seu lucro caiu no segundo trimestre, pois as vendas continuaram a cair e o tráfego nas lojas diminuiu. A companhia afirmou que está seguindo o rumo planejado com a aquisição da Office Depot Inc., mas as ações caíram 2,6% nas negociações antes da abertura do mercado.
  • Enquanto isso, a Target Corp. aumentou sua projeção de lucro para o ano após ter registrado lucros acima do esperado no segundo trimestre. As ações da empresa subiram 4,6% nas negociações antes da abertura do mercado.
  • O governo brasileiro vai parar de falar em "ajuste fiscal" e pretende promover uma ampla "reestruturação fiscal" ao divulgar a proposta orçamentária para 2016 e o Plano Plurianual de Investimento (PPA), que define as suas prioridades para os próximos quatro anos. Os dois documentos serão encaminhados ao Congresso até 31 de agosto. Essa grande "reestruturação" prevê mudanças nas regras de vários programas sociais, a revisão das metas de programas de governo, o aumento de tributos (como uma maior taxação das heranças e doações), outra rodada de redução de desonerações tributárias e a venda de ativos.
  • A Petrobras vai substituir o atual presidente da BR Distribuidora, José Lima de Andrade Neto, por um executivo que será contratado com ajuda de uma empresa de "headhunter". O movimento é compatível com a orientação de Murilo Ferreira, presidente do conselho de administração, que votou contra o modelo de abertura do capital da distribuidora de combustíveis, como mostra a ata da reunião do órgão no dia 6 de agosto. O conselheiro Guilherme Affonso Ferreira, representante dos minoritários com ações preferenciais, aprovou a venda com ressalvas. Assim como Murilo Ferreira, ele aprovou apenas a operação de abertura de capital, mas não o modelo proposto pela direção da Petrobras.
  • O presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), foi questionado nesta terça-feira sobre o clima político para a continuidade do governo Dilma Rousseff. "Prefiro não entrar nesse debate. Não cabe a mim alimentar isso. É o dia a dia que vai acabar respondendo a todos, por atos, fatos e atividade política propriamente dita", disse em evento com empresários em Brasília. Cunha voltou a falar que nunca teve dificuldade em dialogar com a presidente da República. Em tom crítico à chamada Agenda Brasil, propostas apresentadas pelo Senado para o crescimento econômico, o presidente da Câmara disse que os deputados sempre tiveram foco naquilo que a sociedade percebe, como a redução da maioridade penal e o repúdio ao aumento de impostos.
  • Investigados por uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI), quatro dos maiores fundos de pensão do país - Postalis (Correios), Previ (Banco do Brasil), Petros (Petrobras) e Funcef (Caixa) - negam irregularidades nas gestões dos recursos de aposentadoria de funcionários. A Funcef "não reconhece desvios e malversação do dinheiro da fundação". As decisões para investimentos "são baseadas em parâmetros técnicos, econômico-financeiros e jurídicos, tendo como princípio a garantia de rentabilidade, segurança e liquidez dos investimentos", afirmou a entidade em nota. O Postalis informou que presta regularmente todas as informações solicitadas pelo órgão regulador, auditorias internas e externas e demais autoridades competentes, bem como a seus participantes. A Previ ressaltou que não apresenta déficit - como os três outros fundos. Lembrou que encerrou o último exercício (2014) com um superávit acumulado de R$ 12,5 bilhões. O fundo "reforça seu compromisso com a gestão idônea, capacitada e comprometida a continuar honrando com os pagamentos dos benefícios atuais e futuros a todos os seus participantes", destacou, em nota, a assessoria de imprensa da Previ.

Índices

Nome

Atual

%Variação

Dow Jones Industrial Average

17.401,00

-0,46%

S&P 500 Index

2.087,50

-0,31%

Nasdaq Composite Index

4.533,00

-0,24%

Ibovespa

46.591,71

-1,81%

Índices Globais

Japão: Nikkei

20.222,63

-1,61%

China: Shanghai

3.974,99

1,22%

Hong Kong: Hang Seng

23.167,85

-1,31%

Alemanha: DAX

10.768,92

-1,35%

França: CAC 40

4.923,58

-0,96%

Londres: FTSE

6.465,61

-0,93%

Commodities

Petróleo Bruto WTI (NYM $/bbl)

$42,10

0,55%

Ouro ($/oz)

$1.120,00

-0,28%