Bolsa

Comentários sobre o Mercado

20/07/2015

  • Uma queda no preço do ouro para o menor valor em cinco anos foi um dos focos em meio à venda especulativa, enquanto na Grécia a reabertura dos bancos trouxe esperanças de um retorno à estabilidade após um acordo para começar as negociações sobre um novo pacote de resgate para o país membro da zona euro em dificuldades financeiras.
  • A Lockheed Martin anunciou um plano para adquirir aeronaves Sikorsky da United Technologies por US$ 8 bilhões.
  • A SunEdison disse que pretende adquirir a empresa de energia solar residencial Vivint Solar em um negócio avaliado em aproximadamente US$2,2 bilhões. Como parte do acordo, a TerraForm Power adquirirá um portfólio solar da Vivint.
  • A decisão unilateral do presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB­RJ), de romper com o governo e tornar­-se oposição tem preço. A declaração do deputado de que "não existe pauta de vingança" e nem pauta provocada por sua "opção pessoal de mudança de alinhamento político" tem outro preço. Afinal, o presidente da Câmara dos Deputados é o primeiro na linha de sucessão presidencial em caso de impedimento do presidente e do vice, reza a Constituição. E foi no exercício da função que o deputado autorizou, na sexta, a instalação da CPI do BNDES e a CPI dos fundos de pensão. Nesta segunda, investidores locais e globais na certa farão um esforço para calcular quanto o destempero de Cunha pode ter acrescentado ao risco Brasil.
  • O aumento forte de preços, ao lado da desaceleração da atividade e da alta do desemprego, tem derrubado os ganhos reais dos reajustes de salários neste ano. O Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), principal indexador das remunerações, acumula alta de 9,31% nos 12 meses encerrados em junho, o maior percentual desde dezembro de 2003. A média parcial do balanço dos reajustes salariais do primeiro semestre feita pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese) aponta para um ganho real médio de 0,8%, abaixo, portanto, do 1,54% registrado no mesmo período do ano passado.
  • Um grupo de 54 países, do qual o Brasil não participa, fechou um mega-acordo preliminar para acabar com tarifas sobre 201 produtos eletrônicos e de tecnologia da informação, no primeiro entendimento desse tipo em 17 anos na Organização Mundial do Comércio (OMC). As linhas tarifárias cobertas pelo compromisso, que representam comércio internacional de US$ 1 trilhão, equivalem a todo o comércio do setor automotivo mundial e três vezes mais o do setor têxtil.
  • O grupo mexicano América Móvil, dono da Claro, Embratel e Net no Brasil, já sentiu os reflexos da desaceleração econômica brasileira nos resultados financeiros do segundo trimestre, o que se somou ao impacto da reestruturação societária que já vinha desde janeiro. A Claro Telecom Participações registrou queda de 99,2% no lucro pro forma, na comparação anual. Além disso, desconectou 112 mil acessos em TV paga e 804 mil usuários de celular pré­ pago.
  • O grupo Rosset, dono das marcas de moda íntima Valisere, Valfrance, Triumph, Agua Doce, Cia Marítima, Sloggi e Classic, desenvolveu um projeto de franquias de custo mais baixo, para dar andamento ao seu plano de expansão no varejo. A meta é abrir em torno de 25 lojas ainda neste ano. Na nova rede de franquias, que vai levar a marca Valisere Brands, as lojas terão em torno de 60% do estoque com produtos da marca Valisere e o restante será composto com outras marcas da companhia.
  • As ações Raia Drogasil ON e Equatorial ON devem ingressar na nova carteira teórica do Ibovespa, que entrará em vigor em 8 de setembro, segundo estimativa divulgada pelo Morgan Stanley. Em contrapartida, Duratex ON, Gafisa ON e Gol PN poderão deixar a carteira do principal índice da bolsa brasileira, que passaria a contar com 65 ações, frente às 66 atuais. Pelas contas dos analistas Guilherme Paiva, César Medina e Regiane Yamanari, Raia Drogasil ON terá peso de 0,9% e Equatorial ON, peso de 0,8%. Outros papéis que devem ter aumento relevante de participação no índice são Klabin Unit (subirá de 0,9% para 1,1%), Rumo ON (de 0,2% para 0,3%) e Ultrapar ON (de 2,6% para 2,7%). Em compensação, os papéis com maior redução de peso, segundo os analistas, serão Ambev ON (cairá de 8,1% para 7,0%) e Brasil Foods ON (de 4,4% para 4,1%).

Índices

Nome

Atual

%Variação

Dow Jones Industrial Average

18.029,00

-0,18%

S&P 500 Index

2.121,00

0,11%

Nasdaq Composite Index

4.662,50

0,27%

Ibovespa

52.341,80

-1,37%

Índices Globais

apão: Nikkei

20.650,92

0,00%

China: Shanghai

4.182,64

0,88%

Hong Kong: Hang Seng

25.404,81

-0,04%

Alemanha: DAX

11.787,58

0,98%

França: CAC 40

5.163,01

0,75%

Londres: FTSE

6.791,54

0,24%

Commodities

Petróleo Bruto WTI (NYM $/bbl)

$50,76

--0,26%

Ouro ($/oz)

$1.110,50

-1,89%