Bolsa

Comentários sobre o Mercado

24/06/2015

  • Os mercados de ações norte-americanos abriram em baixa na quarta-feira, com índices de futuros registrando queda em linha com ações europeias após uma autoridade do governo grego ter dito a repórteres que os credores internacionais rejeitaram as últimas propostas do país para garantir o auxílio e evitar a moratória.
  • Com relação a notícias econômicas norte-americanas, a última leitura dos dados do PIB do primeiro trimestre mostra uma queda de 0,2%, em linha com as expectativas e abaixo da estimativa anterior de queda de 0,7%.
  • Os rendimentos dos títulos do Tesouro Americano de dez anos caíram para 2,37%, enquanto os rendimentos dos títulos de dois anos permaneceram estáveis em 0,70%, O dólar reduziu suas perdas, sendo negociado com queda de um terço de ponto percentual.
  • A agência de classificação de risco Standard & Poor‘s (S&P) rebaixou ontem o rating de crédito corporativo em escala global da Odebrecht Engenharia e Construção (OEC) de "BBB" para "BBB-¬", mantendo a nota em perspectiva negativa. No sábado, a Moody‘s já havia colocado o rating da OEC em revisão para rebaixamento. Agora, a OEC está no limite do grau de investimento e novo rebaixamento da S&P implicaria sua entrada no grau especulativo, com acesso a crédito mais restrito e caro nos mercados internacionais.
  • A Construtora Camargo Corrêa já tem um novo presidente. O executivo Artur Coutinho, oriundo dos quadros da Embraer, passou a ocupar, desde ontem, a vaga que até novembro foi de Dalton Avancini, que foi preso com a Operação Lava¬Jato, da Polícia Federal, e cumpre prisão domiciliar.
  • O Banco Central Brasileiro mostrou um tom mais pessimista para o desempenho da economia neste ano no Relatório Trimestral de Inflação divulgado nesta quarta-feira, 24. Para a inflação em 2015, a expectativa do BC subiu de 7,9% para 9%, o dobro do centro da meta de inflação (4,5%).
  • Depois do insucesso da campanha "fora Levy", setores do PT voltaram suas baterias agora contra o presidente do Banco Central, Alexandre Tombini. O objetivo da política monetária executada pelo BC, de trazer a inflação para o centro da meta ainda em 2016, passou a ser o principal alvo dos ataques, nos bastidores do governo.
  • O ex¬-presidente Fernando Henrique Cardoso disse ontem não ver problemas em receber recursos de empreiteiras investigadas pela Operação Lava¬ Jato. FHC não negou que seu instituto, em São Paulo, receba doações de empresas como a Odebrecht, Andrade Gutierrez e Camargo Corrêa, mas evitou falar em valores. "Pode ser que tenha recurso aqui, não sei. Muita gente deu recurso. Mas aqui o recurso é para fazer o que estamos fazendo. Não tem nenhuma relação com política, com partido, nada", afirmou o ex-¬presidente.
  • As vendas do Tesouro Direto fecharam maio com um recorde histórico. Foram R$ 2,411 bilhões em emissões realizadas no sistema de vendas on¬line de títulos públicos para pessoas físicas, segundo o relatório mensal da dívida pública federal. A melhor marca anterior, de R$ 1 bilhão, havia ocorrido em março. As vendas no mês passado quase triplicaram em relação a abril, quando as emissões alcançaram R$ 828,64 milhões.

Índices

Nome

Atual

%Variação

Dow Jones Industrial Average

18.005,00

-0,34%

S&P 500 Index

2.112,75

-0,18%

Nasdaq Composite Index

4.534,50

-0,15%

Ibovespa

54.102,65

0,61%

Índices Globais

Japão: Nikkei

20.868,03

0,28%

China: Shanghai

4.912,22

2,49%

Hong Kong: Hang Seng

27.404,97

0,26%

Alemanha: DAX

11.435,80

-0,92%

França: CAC 40

5.031,36

-0,52%

Londres: FTSE

6.842,19

0,11%

Commodities

Petróleo Bruto WTI (NYM $/bbl)

$60,89

-0,20%

Ouro ($/oz)

$1.171,50

-0,43%