Bolsa

Comentários sobre o Mercado

23/06/2015

  • Os mercados europeus subiram após os credores da Grécia sugerirem pela primeira vez que um acordo para evitar a falência do país está próximo. No começo da terça-feira, Pierre Moscovici, o comissário europeu para assuntos econômicos e financeiros disse à rádio francesa France Inter que espera que um acordo seja feito esta semana.
  • Na segunda-feira, as ações norte-americanas foram alavancadas por ganhos de empresas do setor financeiro e de saúde.
  • Com relação a notícias corporativas, as ações da Darden Restaurants Inc. valorizaram 6,7% na negociação antes da abertura do pregão após a rede de restaurantes ter registrado crescimento generalizado nas vendas e afirmado planejar criar um fundo de investimento em imóveis para os seus restaurantes.
  • Os grupos Odebrecht e Andrade Gutierrez devem encontrar dificuldade em obter recursos novos no mercado após a prisão de seus principais dirigentes na sexta-feira. No curto prazo, porém, a situação não preocupa os bancos, já que os dois grupos têm boa posição financeira. Desde novembro, Odebrecht e Andrade captaram pouco mais de R$ 2,1 bilhões com emissões de debêntures. Um total de R$ 1,5 bilhão foi obtido por empresas da Odebrecht, a maior parte em operações com vencimento em até dois anos. Na avaliação de uma fonte do setor financeiro, as captações foram uma forma de as companhias reduzirem a dependência da holding e se anteciparem a um cenário de maior restrição de liquidez. O maior desafio para os dois grupos será obter dinheiro novo para tocar alguns projetos e renovar a carteira de pedidos ("backlog", no jargão do mercado).
  • O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva passou o tempo todo com o fone de ouvido, mesmo quando a fala dos brasileiros era traduzida para o convidado do evento, o ex-primeiro-ministro espanhol, Felipe González. Mas o alheamento era aparente. Ao encerrar evento promovido pelo Instituto Lula, o ex-presidente, acossado pela crise que atinge o PT e o governo, disse que a saída para seu partido é se distanciar das benesses do poder. "É chegada a hora de se fazer uma revolução no partido. Temos que decidir se queremos salvar nossa pele e nossos cargos ou salvar nosso projeto", disse o ex-presidente.
  • O ministro da Fazenda, Joaquim Levy, deu aval para que parlamentares da base aliada deflagrassem a articulação política de mudança da meta de superávit primário das contas públicas. Levy indicou a senadores que concorda com uma redução da meta do atual 1,1% para 0,6%.
  • Maior grupo de varejo eletroeletrônico do Brasil, a Via Varejo, dona das redes Casas Bahia e Ponto Frio demitiu empregados nas últimas semanas, reduzindo o quadro de pessoal e também deixando de repor vagas de funcionários que deixaram a empresa. Maior grupo de varejo eletroeletrônico do país. Grandes varejistas têm feito, nos últimos meses, redução de quadro de pessoal - as demissões afetam todos os níveis hierárquicos das redes. A C&A confirmou cortes, sem informar números, para adequar o seu quadro de funcionários ao cenário atual. A Lojas Marisa também demitiu funcionários, cerca de 400 entre janeiro e maio, segundo o sindicato dos comerciários de São Paulo. Foi registrado desaquecimento nas vendas do setor de bens duráveis neste ano em relação a anos anteriores.
  • A Volkswagen, no ABC paulista, e a Mercedes-Benz, em Juiz de Fora (MG), negociam colocar, a partir do mês que vem novas turmas de operários em "layoff", que consiste na suspensão temporária dos contratos de trabalho. A Volkswagen, que no início deste mês já havia recorrido ao expediente para afastar 220 trabalhadores do parque industrial de São Bernardo do Campo, avalia aumentar o número de empregados em "layoff" no próximo dia 6, conforme informação do sindicato dos metalúrgicos da região, não comentada pela montadora alemã. Entre fevereiro e março, cerca de 800 empregados deixaram a Volks num programa de demissões voluntárias executado em sua fábrica no ABC. Antes desse corte, a empresa reportava aos sindicalistas um excesso de mão de obra de aproximadamente 2 mil trabalhadores na unidade.
  • Após uma recuperação nos últimos meses, o fluxo de capital estrangeiro para aplicações de renda fixa e ações no Brasil perdeu fôlego. O apetite internacional por ativos locais ainda existe, mas não é tão forte quanto se viu no início do ano. Diante de um cenário externo de incertezas e da contínua preocupação com os fundamentos econômicos domésticos, investidores mostram-se cautelosos em aumentar suas apostas no país.

Índices

Nome

Atual

%Variação

Dow Jones Industrial Average

18.038,00

0,07%

S&P 500 Index

2.115,25

0,12%

Nasdaq Composite Index

4.539,50

0,15%

Ibovespa

53.863,67

0,21%

Índices Globais

Japão: Nikkei

20.809,42

1,87%

China: Shanghai

4.792,86

2,20%

Hong Kong: Hang Seng

27.333,46

0,93%

Alemanha: DAX

11.588,32

1,12%

França: CAC 40

5.062,53

1,28%

Londres: FTSE

6.844,06

0,27%

Commodities

Petróleo Bruto WTI (NYM $/bbl)

$59,82

-0,93%

Ouro ($/oz)

$1.178,40

-0,48%