Bolsa

Comentários sobre o Mercado

22/06/2015

  • Os índices de futuros norte-americanos registraram um aumento significativo na segunda-feira, alavancados pela esperança de que a Grécia e os seus credores possam conseguir um acordo de reforma mais tarde hoje, possivelmente salvando o país endividado da moratória.
  • Nessa segunda-feira, a União Europeia recebeu novas propostas de Atenas como uma "boa base para o progresso" nas negociações que acontecerão mais tarde hoje em que a Grécia e os seus credores globais esperam garantir um acordo de última hora para salvar o país que se encontra à beira da falência.
  • Acusada de formação de cartel nos autos da Operação Lava-Jato, a Odebrecht pode sofrer multa de até R$ 1,4 bilhão no Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade). O valor equivale a 20% do faturamento da Construtora Norberto Odebrecht (CNO), em 2014 e é o percentual de pena máxima na Lei Antitruste (nº 12.529). A multa mínima seria de apenas R$ 7,4 milhões, ou 0,1% do faturamento, mas o Cade possui indícios que apontam para um papel relevante da Odebrecht no chamado "cartel das empreiteiras", o que deve elevar as penas. No órgão antitruste, há pelo menos 19 documentos indicando participação da companhia no cartel e a 14ª fase da Lava-Jato, na sexta-feira, deve aumentar ainda mais esse acervo, já que houve busca e apreensão na sede da empresa. Andrade Gutierrez, que também foi surpreendida pela nova etapa da operação, pode sofrer multa de até R$ 860 milhões, ou 20% de seu faturamento. O Cade tem ao menos 12 documentos mencionando a empresa.
  • Reprovada pelo Tribunal de Contas da União, a prática da "pedalada fiscal" continua em uso pelo governo Dilma Rousseff em 2015. Uma das manobras consiste em atrasar o repasse do Tesouro, para os bancos públicos, do dinheiro necessário para pagar benefícios sociais ou financiar investimentos com juros mais baixos. Para manter os desembolsos, os bancos acabam usando seus próprios recursos. O TCU considera que, dessa forma, eles financiaram seu controlador (o governo), o que é proibido pela lei. O tribunal condenou essa e outras práticas ao analisar as contas de 2014 do governo, e exigiu explicação por escrito de Dilma em 30 dias. Se não se der por satisfeito, recomendará ao Congresso que rejeite as contas da presidente, algo inédito e que, se confirmado pelo Legislativo, poderá embasar uma ação de impeachment.
  • As negociações para aquisição do grupo DPSP, dono das redes de farmácias Pacheco e Drogaria São Paulo, pela cadeia americana CVS foram interrompidas semanas atrás, depois que a multinacional decidiu "segurar" planos de novas aquisições, segundo interlocutor próximo às empresas. A CVS ainda avalia o negócio como um ativo estratégico e interessante, portanto, a hipótese de a transação ser fechada futuramente não está descartada.
  • A rede de postos Ale, quarta maior do setor de combustíveis do país, vai investir R$ 133,8 milhões até o fim do ano. É um volume 16% inferior ao de 2014. Ainda assim, se confirmado, o aporte deste ano será o segundo maior já feito pela empresa.
  • Após levantar cerca de US$ 90 milhões em uma estreia bem-sucedida no mercado de ações dos Estados Unidos, a rede de churrascarias Fogo de Chão pretende reduzir seu endividamento e expandir as operações, com foco principalmente no mercado americano.
  • Como já ocorreu em outros setores, a tecnologia se mostra disruptiva para os bancos e se tornou um dos principais focos na estratégia das instituições financeiras. No Brasil, Bradesco, Itaú Unibanco, Santander e agora também o Banco do Brasil têm avançado em ferramentas voltadas para uma clientela cada vez mais digital. É com esse modelo que os bancos buscam maior retorno, economia de custos e um atendimento que deverá ser cada vez mais empacotado de acordo com o perfil de cada correntista.
  • O Santander analisa a criação, no próximo ano, de um financiamento estudantil em parceria com as faculdades. A ideia é que as instituições de ensino entrem com recursos para compor um fundo em casos de inadimplência do aluno.

Índices

Nome

Atual

%Variação

Dow Jones Industrial Average

18.023,00

0,63%

S&P 500 Index

2.111,50

0,66%

Nasdaq Composite Index

4.533,00

0,74%

Ibovespa

54.176,67

0,79%

Índices Globais

Japão: Nikkei

20.428,19

1,26%

China: Shanghai

4.689,56

0,00%

Hong Kong: Hang Seng

27.080,85

1,20%

Alemanha: DAX

11.324,10

2,57%

França: CAC 40

4.929,43

2,37%

Londres: FTSE

6.784,73

1,11%

Commodities

Petróleo Bruto WTI (NYM $/bbl)

$60,26

1,09%

Ouro ($/oz)

$1.192,80

-0,76%