Bolsa

Comentários sobre o Mercado

10/06/2015

  • Os índices futuros dos EUA registram ganhos nesta quarta-feira, juntamente com as ações europeias, com a alta do preço do petróleo sustentando as ações das empresas de energia na pré-abertura do mercado.
  • Os índices futuros de petróleo bruto se recuperaram 2,3% para US$61,54/barril, após uma alta de 3,4% na terça-feira. As empresas Chevron Corp. e Exxon Mobil Corp. lideravam no índice Dow Jones Industrial Average, ambas registraram alta de 0,8% no pré-mercado. As ações da empresa offshore perfuradora de petróleo, Transocean Ltd. avançaram 2,7% no pré-mercado, direcionando o S&P 500 para cima.
  • Nos EUA, as ações fecharam na terça-feira com leve oscilação, com o índice Dow Jones Industrial Average em queda de 0,01% para 17764,04. O índice S&P 500 subiu 0,04% para 2080,15, enquanto o índice Nasdaq Composite recuou 0,15% para 5013,87. As ações também recuaram nas últimas sessões com a possibilidade de o Federal Reserve (FED) iniciar o aumento das taxas de juros ainda em 2015. O índice Dow fechou a terça-feira e seu nível mais baixo desde 2 de abril, registrando queda de 3% desde o fechamento recorde de 19 de maio. Os recentes declínios arrastaram as ações blue chip de volta para o território negativo do ano, uma queda de 0,3%.
  • A venda de títulos do governo americano acelerou nesta quarta-feira, impulsionando o yield sobre os títulos alemães de 10 anos acima de 1% pela primeira vez desde setembro. O yield sobre o título alemão de 10 anos, conhecido como bund, se situa neste momento em 1%, após uma alta de 1,05% no início do pregão. Os yields sobem à medida que os preços caem.
  • Os preços dos treasuries norte-americanos também registraram queda. O yield sobre os treasuries de 10 anos avançaram para 2,469% em comparação com 2,417% na terça-feira.
  • As ações europeias registraram ganhos, com o índice europeu Stoxx Europe 600 em alta de 1% após seis dias consecutivos de quedas. O índice CAC 40 da França registrou alta de 0,6% e o índice alemão DAX avançou 1%.
  • Já no Brasil, o programa de concessões anunciado ontem pela presidente Dilma Rousseff compreende 11 novos trechos de rodovias, quatro aeroportos (Porto Alegre, Florianópolis, Salvador e Fortaleza), cinco ferrovias e um leque de terminais portuários. A lista de obras selecionadas combina realismo e pretensão. A segmentação das rodovias em lotes menores revela um governo mais pragmático. Já a inclusão da ferrovia Bioceânica, ao custo estimado de R$ 40 bilhões, incorre na mesma estratégia do plano lançado em 2012: incluir projetos que ainda não possuem estudo de viabilidade. Contando com a Bioceânica, cujos estudos só devem ser entregues pelo governo da China em maio de 2016, o pacote de concessões soma investimentos previstos de R$ 198,4 bilhões.
  • O cenário de deterioração da economia brasileira tem provocado queda generalizada da produção industrial e ampliado o número de Estados com dados negativos. Em abril, 13 dos 14 locais pesquisados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) apresentaram recuo, segundo a Pesquisa Industrial Mensal Regional. Entre março e abril, apenas o Paraná avançou, com alta de 1,4%. A produção industrial recuou 7,6% em abril na comparação com igual mês de 2014. A produção não tinha queda tão generalizada desde o fim de 2008.
  • Registros de contabilidade da Camargo Corrêa informam que, entre 2011 e 2013, a empreiteira doou R$ 3 milhões ao Instituto Lula, entidade comandada pelo ex-presidente da República, e repassou R$ 1,5 milhão para a empresa de palestras do petista, a L.I.L.S. Palestras Eventos e Publicidade. Os dados foram obtidos em perícia da Polícia Federal nos livros da construtora, em uma das apurações da Operação Lava Jato, que investiga corrupção na Petrobras. A análise da contabilidade da Camargo alcançou registros de 2008 a 2013.
  • Confiante no crescimento de suas operações no Brasil nos próximos anos, o UBS decidiu reforçar o capital de sua corretora em 32 milhões de francos (cerca de R$ 96 milhões). Esse é o maior passo dado pelo banco suíço em solo brasileiro desde a retomada das operações no país, com a compra da corretora Link, por R$ 195 milhões, anunciada em abril de 2010 e concluída em fevereiro de 2013. "Esse aporte mostra a importância do Brasil na estratégia global do banco. É um claro sinal de compromisso com o mercado brasileiro, que é o maior da América Latina, apesar de o momento ainda estar desfavorável para atração de capital estrangeiro", afirma o executivo-chefe da corretora do UBS no Brasil, Daniel Mendonça de Barros

Índices

Nome

Atual

%Variação

Dow Jones Industrial Average

17.810,00

0,24%

S&P 500 Index

2.085,75

0,28%

Nasdaq Composite Index

4.439,75

0,19%

Ibovespa

53.794,07

1,85%

Índices Globais

Japão: Nikkei

20.046,36

-0,25%

China: Shanghai

5.347,74

-0,15%

Hong Kong: Hang Seng

26.687,64

-1,12%

Alemanha: DAX

11.107,75

0,97%

França: CAC 40

4.877,32

0,56%

Londres: FTSE

6.778,38

0,36%

Commodities

Petróleo Bruto WTI (NYM $/bbl)

$61,54

2,33%

Ouro ($/oz)

$1.190,50

1,10%