Bolsa

Comentários sobre o Mercado

09/06/2015

  • Na terça-feira, os índices de futuros das bolsas dos EUA caíram pouco, depois que um terceiro dia de quedas levou o SP&500 ao menor valor em dois meses, subsequentemente às quedas na Europa e na Ásia. Os participantes do mercado esperavam por evoluções na situação financeira da Grécia. As ações gregas contrariaram as reduções em toda a Europa, avançando em 2%, depois de fontes familiarizadas com as negociações entre a Grécia e seus credores dizerem que ambas as partes estavam discutindo uma extensão do programa de resgate do país até março de 2016.
  • A General Electric Co. concordou em vender sua unidade de empréstimos de private equitypara o maior fundo de pensão do Canadá, em um acordo de aproximadamente US$12 bilhões. O Wall Street Journal tinha relatado que as duas empresas estavam quase fechando um acordo no início desta semana. As ações da GE caíram 0.1% antes da abertura do mercado.
  • O HSBC ficou em evidência após o banco anunciar planos para cortar custos em até US$5 bilhões nos próximos dois anos e demitir até 25.000 funcionários. A empresa também declarou que venderia as suas operações na Turquia e no Brasil.
  • O Departamento de Justiça dos EUA está considerando acusar a General Motors de crime de fraude eletrônica devido à não-realização pelo fabricante de automóveis do recall de milhões de veículos equipados com um interruptor de ignição com defeito, declararam fontes familiarizadas com o assunto.
  • A rede de churrascarias Fogo de Chão apresentou ontem o prospecto preliminar da oferta inicial de ações nos Estados Unidos ao regulador de mercado americano (SEC), com preço estimado por ação de US$ 16 a US$ 18. Segundo o documento, serão emitidas 4,411 milhões de ações, fazendo com que a oferta chegue a US$ 79,4 milhões. Esse montante pode crescer para 5,073 milhões de ações se os subscritores exercerem a opção de compra adicional. Nesse caso, a companhia pode levantar até US$ 91,3 milhões. Se todas as ações forem vendidas, o capital social passará a ser composto de 27,914 milhões de ações, avaliando a companhia em até US$ 502 milhões.
  • Sob o risco de tornar-se inviável, ao perder mais quatro aeroportos de sua rede incluídos no novo pacote de concessões, a Infraero receberá cerca de R$ 750 milhões para colocar em prática um plano de demissões voluntárias. A liberação dos recursos será apenas em 2016 e pagará as indenizações de 2,6 mil trabalhadores que a estatal pretende atrair para o plano de desligamentos. Desde o ano passado, a Secretaria de Aviação Civil (SAC) travava uma queda de braço com a equipe econômica em torno do orçamento para bancar esse programa, considerado fundamental para dar sustentabilidade à Infraero. Só agora, às vésperas do anúncio do novo programa de concessões em infraestrutura, a liberação de orçamento específico para bancar o PDV foi costurada.
  • Em entrevista a uma rede francesa exibida ontem, a presidente Dilma Rousseff afirmou que vai "lutar até o fim para mostrar" que não tem ligação com os casos de corrupção na Petrobrás revelados pela Operação Lava Jato. E reclamou de outras campanhas eleitorais não serem tão questionadas quanto a dela, embora tenham recebido doações de empresas sob suspeita. Dilma falou à TV France 24 em razão da reunião de cúpula entre a União Europeia e a Comunidade de Estados Latino-americanos e Caribenhos (Celac), amanhã e quinta-feira, em Bruxelas.

Índices

Nome

Atual

%Variação

Dow Jones Industrial Average

17.749,00

-0,11%

S&P 500 Index

2.075,25

-0,14%

Nasdaq Composite Index

4.416,50

-0,36%

Ibovespa

53.097,53

0,55%

Índices Globais

Japão: Nikkei

20.096,30

-1,76%

China: Shanghai

5.356,02

-0,36%

Hong Kong: Hang Seng

26.989,52

-1,20%

Alemanha: DAX

10.991,84

-0,66%

França: CAC 40

4.854,35

-0,07%

Londres: FTSE

6.777,75

-0,18%

Commodities

Petróleo Bruto WTI (NYM $/bbl)

US$59,22

1,86%

Ouro ($/oz)

US$1.181,00

0,63%