Bolsa

Comentários sobre o Mercado

14/05/2015

  • Os índices de futuros norte-americanos apontam para uma abertura em alta na quinta-feira, com investidores buscando direcionamento nos dados de pedido de auxílio-desemprego após os números do varejo em abril decepcionarem.
  • O número de pedidos de auxílio-desemprego foi de 264 mil, um pouco inferior ao número da semana passada e abaixo da expectativa de um ligeiro aumento. Os pedidos novos de auxílio-desemprego atingiram o seu nível mais baixo em 15 anos.
  • As ações europeias foram negociadas em baixa na quinta-feira em meio a preocupações crescentes com a saúde da economia americana.
  • As ações asiáticas tiveram um comportamento heterogêneo na quinta-feira, com Sidney e Tóquio sob pressão em virtude da posição fortalecida de suas moedas em relação ao dólar.
  • Os rendimentos dos títulos do tesouro de dez anos caíram para 2,2654% na quinta-feira, após terem fechado a quarta-feira em 2,274% em um dia de negociações instáveis.
  • Ao concluir sua agenda de dois dias em Londres, onde se reuniu com autoridades do governo britânico, analistas financeiros e investidores, o ministro da Fazenda, Joaquim Levy, voltou a manifestar otimismo em relação aos efeitos do ajuste fiscal sobre a economia brasileira. Segundo o ministro, o ajuste se espalha "de maneira bastante equilibrada", de modo que a economia do país já não apresenta os mesmo riscos que preocupavam o mercado e o setor produtivo no início do ano.
  • Em linha com a forte retração do setor automotivo, o grupo Randon encerrou o primeiro trimestre com lucro líquido consolidado de R$ 557 mil, uma queda de 99,1% ante os R$ 62,2 milhões em igual período de 2014. A queda deveu¬se à redução das receitas, à menor diluição dos custos fixos, ao aumento das despesas financeiras, ao impacto do câmbio sobre operações de hedge e ao pagamento de indenizações para funcionários demitidos.
  • Os governos do Brasil e do México devem firmar um acordo de promoção e facilitação de investimentos, durante visita da presidente Dilma Rousseff ao país, no dia 25. Ao todo, Dilma e o colega Enrique Peña Nieto se preparam para assinar de cinco a sete convênios, em áreas que envolvem intercâmbio acadêmico e cooperação em questões agroindustriais, além de dar um impulso nas negociações para a ampliação dos setores cobertos por descontos nas tarifas de importação.
  • O Estaleiro Atlântico Sul (EAS) notificou formalmente a Sete Brasil, na noite de ontem, que acredita ter a receber US$ 1 bilhão. O objetivo é deixar claro à Sete Brasil que seria importante considerar tais pendências em qualquer modelo de reorganização que a companhia venha a considerar. O EAS tem um contrato com a Sete Brasil para construção de sete sondas para uso da Petrobras.
  • A Dasa ¬ maior empresa de medicina diagnóstica do Brasil, dona dos laboratórios Delboni Auriemo, entre outros ¬ viu seu lucro líquido registrar forte queda no primeiro trimestre, para R$ 296 mil. Nos três primeiros meses de 2014, o ganho foi de R$ 28,5 milhões. A receita líquida da companhia caiu 1% para R$ 655,7 milhões impactados, principalmente, pelo aumento de 71,4% na linha de descontos e glosas, jargão usado na área da saúde quando o convênio médico não paga pelo procedimento realizado.
  • O Banco do Brasil (BB) teve lucro líquido contábil de R$ 5,818 bilhões no primeiro trimestre, com alta de 117,3% sobre o mesmo período do ano passado. Em termos ajustados, o lucro foi de R$ 3,025 bilhões, o que representou crescimento de 24,2%. A instituição citou que, em razão do acordo de associação entre Cielo e BB Elo Cartões, concluída em fevereiro, houve um impacto no resultado do BB no trimestre de R$ 3,2 bilhões.

Índices

Nome

Atual

% Variação

Dow Jones Industrial Average

18.125,00

0,61%

S&P 500 Index

2.106,75

0,58%

Nasdaq Composite Index

4.456,50

0,74%

Ibovespa

56.442,85

0,13%

Índices Globais

Japão: Nikkei

19.570,24

-0,98%

China: Shanghai

4.586,33

0,05%

Hong Kong: Hang Seng

27.286,55

0,14%

Alemanha: DAX

11.446,80

0,84%

França: CAC 40

4.992,76

0,62%

Londres: FTSE

6.962,47

0,18%

Commodities

Petróleo Bruto WTI (NYM $/bbl)

$60,21

-0,48%

Ouro ($/oz)

$1.217,00

-0,10%