Bolsa

Comentários sobre o Mercado

08/05/2015

  • Os índices futuros norte-americanos registraram novas altas na sexta-feira quando o relatório do governo de empregos no mês de abril mostrou criação de postos de trabalho em linha com as expectativas. Os empregadores americanos aceleraram o ritmo de contratações no mês passado e a taxa de desemprego caiu, ajudando a economia a se recuperar após um inverno difícil. Os futuros do DJIA triplicaram de aproximadamente 50 pontos para mais de 180 pontos após a divulgação do relatório de empregos, que ficou em linha com as expectativas. Os rendimentos dos títulos do tesouro caíram e o dólar desvalorizou em relação ao euro e ao Yen, enquanto os preços do ouro aumentaram após os números de março terem sido fortemente rebaixados. Os ganhos no exterior ajudaram a alavancar os índices futuros norte-americanos. O índice FTSE 100 subiu 2% com a notícia da vitória do Partido Conservador no Reino Unido.
  • Os mercados Europeus registraram valorização. O índice alemão DAX subiu 0.7% enquanto o índice francês CAC registrou alta de 0,8%. As ações do Reino Unido registraram alta após a vitória do Partido Conservador do Primeiro Ministro David Cameron.
  • O Banco Central da Austrália diminuiu a sua projeção de crescimento econômico, citando incertezas relacionadas ao fim de uma década de prosperidade no setor de mineração e à desaceleração econômica na China. A economia agora está posicionada para crescer apenas 2,5% em 2015, bem abaixo do nível necessário para reduzir o desemprego, que agora atingiu o nível mais alto em uma década.
  • As ações na Ásia se recuperaram após um período de turbulência global, apesar de um movimento intenso de venda que durou três dias ter feito com que as ações chinesas chegassem perto de atingir sua maior perda semanal em cinco anos. As exportações chinesas tiveram uma queda inesperada de 6,4% em abril em relação ao ano anterior, enquanto as importações tiveram uma queda acima do esperado de 16,2%, alimentando as expectativas de que Pequim irá adotar mais medidas de estímulo à economia. O índice Shanghai Composite subiu 2,3%, embora tenha registrado uma queda de quase 6% durante a semana.
  • Com relação a notícias corporativas, a Syngenta rejeitou a oferta não solicitada de aquisição de US$45 bilhões da Monsanto, dizendo que ela desvalorizava a companhia e que uma fusão apresentaria riscos significativos. A Monsanto propôs a aquisição da companhia a 449 francos suíços por ação da Syngenta, sendo aproximadamente 45% em dinheiro.
  • No Brasil, a desaceleração da atividade econômica provocou piora generalizada no mercado de trabalho do país no primeiro trimestre, mas os efeitos foram distintos entre as regiões e os Estados.
  • O país também passou a liderar o ranking latino americano do Índice de Competitividade de Viagens e Turismo, elaborado pelo Fórum Econômico Mundial 2015, que avaliou 141 países em termos de potencial para gerar benefícios econômicos e sociais por meio dessa indústria de viagens. No ranking global, o Brasil foi classificado no 28º lugar, 23 posições acima da colocação obtida no levantamento anterior.
  • Os primeiros impactos das mudanças nas regras do Fies, financiamento estudantil do governo, estão sendo menos dolorosos do que se previa. Na Estácio, o número de calouros na graduação presencial aumentou 12% e a Anima registrou um crescimento orgânico de 2,8% no volume de novos alunos no vestibular do começo do ano.
  • O avanço da taxa básica de juros trouxe bons frutos para a BB Seguridade, holding de empresas de seguros do Banco do Brasil. O robusto resultado financeiro fez com que o lucro líquido nos três primeiros meses do ano somasse R$ 949 milhões, o que representou crescimento de 46% sobre igual período do ano passado.

Índices

Nome

Atual

%Variação

Dow Jones Industrial Average

18.054,00

0,92%

S&P 500 Index

2.103,00

0,90%

Nasdaq Composite Index

4.444,75

0,96%

Ibovespa

57.009,55

0,16%

Índices Globais

Japão: Nikkei

19.379,19

0,45%

China: Shanghai

4.406,32

2,28%

Hong Kong: Hang Seng

27.577,34

1,05%

Alemanha: DAX

11.570,11

1,42%

França: CAC 40

5.047,21

1,61%

Londres: FTSE

7.023,04

1,98%

Commodities

Petróleo Bruto WTI (NYM $/bbl)

US$59,62

1,15%

Ouro ($/oz)

US$1.189,30

0,60%