Bolsa

Comentários sobre o Mercado

17/04/2015

    • O índice de futuros nos Estados Unidos recuou nesta manhã de sexta-feira com a queda dos futuros na China após os reguladores terem atualizado as regras sobre negociação de margem, e empresas desde a AMD até a American Express escorregou em seus relatórios de lucro. As ações na Europa operaram em queda nesta sexta-feira e os títulos do governo alemão foram negociados nos mais baixos níveis de rendimentos jamais registrados. A crise da dívida na Grécia continua a incomodar os mercados. Para aumentar a volatilidade, problemas técnicos nos terminais da Bloomberg em todo o mundo deixaram os operadores sem força de comunicação e negociação.
    • Os futuros de índices de ações na China registraram queda no pregão after-hours após os reguladores terem restringido o uso de shadow financing na compra de ações e expandirem a oferta de ações disponíveis para vendedores a descoberto. O mercado de ações na China caiu mais de 5% no pregão pós fechamento. A China Securities Regulatory Commission proibiu que as atividades de negociação de margem por parte de corretoras envolvessem participação em umbrela trusts, enquanto a Securities Association of China afirmou que os gestores de fundos podem oferecer empréstimos de valores mobiliários para vendas a descoberto.
    • Em termos de dados econômicos, os preços ao consumidor nos Estados Unidos aumentaram pelo segundo mês consecutivo em março, após registrarem queda durante grande parte do período de dezembro a fevereiro, um sinal de que a inflação norte-americana pode estar caminhando para a estabilização. Na sexta-feira, o Departamento do Trabalho afirmou que em março, o índice de preços ao consumidor subiu 0,2% ajustados sazonalmente, coincidindo com o aumento no mês anterior, que foi o maior desde junho. Excluindo as categorias voláteis de alimento e energia, os chamados preços essenciais também subiram 0,2%. A expectativa dos economistas era de que os preços aumentariam 0,3% e que os preços essenciais aumentariam 0,1%. Mais tarde, ainda no período da manhã, os economistas esperavam que um relatório revelasse aumento no índice de sentimento do consumidor divulgado pela Universidade de Michigan para o mês de abril. O índice dos principais indicadores econômicos dos Estados Unidos provavelmente aumentou mais em março do que em fevereiro.
    • Nos mercados de câmbio, o euro continuava relativamente robusto, sendo negociado ligeiramente acima do dólar a $1,0804 embora os estrategistas atribuíssem esse cenário à pressão de baixa exercida sobre o valor da moeda americana em função dos fracos dados divulgados recentemente.
    • Nos mercados de commodities, o petróleo bruto registrou queda de 0,83% para $56,24. O outro subiu 0,38%, para $1202,40. O rendimento de 10 anos recuou 0,6% para 1,879%.
    • Os terminais financeiros da Bloomberg saíram do ar em todo o mundo nesta sexta-feira, provocando contratempos para os operadores que dependem desses equipamentos para analisar e negociar valores mobiliários e levando o Reino Unido a postergar uma recompra programada de títulos de dívida do governo avaliada em vários bilhões. Os operadores disseram que os terminais saíram do ar logo após a abertura dos mercados europeus. A Bloomberg diz que o serviço já foi restaurado para a "maioria dos clientes" após uma queda generalizada anteriormente.
    • A inflação medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo ­ 15 (IPCA­ 15) ficou em 1,07% em abril, a maior taxa para meses de abril desde 2003. Em março, conforme o levantamento do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), houve alta de 1,24%. O indicador ficou acima da média de 0,99% apurada pelo Valor Data junto a 19 consultorias e instituições financeiras. O intervalo das projeções ficou entre 0,72% e 1,1%. No acumulado do ano, o IPCA­ 15 registra inflação de 4,61%. Nos 12 meses encerrados em abril, o índice subiu 8,22%, o maior desde janeiro de 2004. Nos 12 meses terminados em março, a variação tinha sido menor, de 7,9%.
    • O governo brasileiro prepara um decreto presidencial que deverá reduzir o custo da energia elétrica para indústria ao remodelar a forma de distribuição dos encargos setoriais entre os consumidores por meio da Conta de Desenvolvimento Energético (CDE). O Valor apurou que o novo ajuste produzirá efeito a partir de 2016, quando os consumidores residenciais terão que assimilar novo ônus com aumento na conta de luz. O decreto restabeleceria os critérios de rateio das despesas em vigor até 2012.
    • Com receita média por usuário líquida (Arpu) de R$ 18,6 ­ em declínio desde 2010, quando atingiu R$ 22,7 ­ as operadoras de telecomunicações no Brasil têm olhado com bastante atenção para serviços que possam adicionar valor aos seus pacotes. E há um amplo mercado a ser explorado na telefonia móvel pré­ paga, que representa 77,75% das 282 milhões de linhas ativas no país. Os mais recentes planos voltados para esse público partiram da Oi e Claro. A Oi lançou na quarta­-feira e ontem, respectivamente, a tecnologia LTE, de 4G, para os planos pré­ pago e controle, inclusive para o Oi Galera, voltado ao público jovem. A tecnologia estava disponível para clientes pós­ pagos da empresa e Oi Conta Total desde meados de 2014. A expectativa da Oi é que a oferta 4G no pré­ pago impulsione as vendas do serviço, acompanhando a expansão do mercado de aparelhos.
    • O BTG Pactual negocia o apoio do Itaú BBA e do Citi para assumir o controle da Eneva, a antiga MPX, empresa controlada por Eike Batista e pela alemã E.ON. Os três bancos são grandes credores da Eneva e esperam reativar a companhia geradora de energia. O BTG ampliou sua fatia ao comprar, no ano passado, a dívida da empresa com o HSBC. No total, tem algo entre R$ 1,1 bilhão e R$ 1,2 bilhão em termos nominais a receber
    • Mesmo após a retração do mercado brasileiro de cerveja no primeiro trimestre, o grupo Petrópolis, dono da marca Itaipava, prevê um aumento de mais de 35% no seu faturamento este ano, para quase R$ 12 bilhões. A companhia está colhendo os frutos do investimento em duas fábricas novas no Nordeste, que juntas praticamente duplicaram sua capacidade produtiva no país. A empresa inaugura hoje sua segunda fábrica na região ­ a primeira foi em Alagoinhas (BA) ­ em Itapissuma (PE), em evento que contará com a presença do ex presidente Lula. A unidade é a sétima em operação do grupo, recebeu investimento de R$ 600 milhões e tem capacidade para 600 milhões de litros ao ano. Desde o ano passado, a fábrica estava produzindo algumas linhas de produtos, o que foi suficiente para elevar a participação de mercado da Itaipava a quase 20% em Pernambuco.
    • A quinta­-feira foi de correção moderada na bolsa brasileira, com investidores estrangeiros predominando na ponta vendedora do mercado pela primeira vez no mês, após o Ibovespa ter renovado sua máxima do ano na quarta­-feira.
    • A Caixa Econômica Federal anunciou um novo aumento de juros para o crédito habitacional, o segundo aumento que o banco faz no ano. A instituição elevou as taxas para financiamento de imóveis com valor de até R$ 650 mil (R$ 750 mil em algumas capitais), no chamado Sistema Financeiro de Habitação (SFH). A taxa de balcão do banco, aplicada a quem não tem relacionamento com a instituição, passa de 9,15% ao ano para 9,45%. Para quem tem algum relacionamento com o banco, a taxa sai de 8,75% para 9,30%. Já as taxas cobradas de servidores públicos e de quem recebe salário pelo banco terão incrementos, que variam de 40 a 80 pontos base. Os novos custos valem desde 13 de abril. O ajuste não afeta as taxas de juros adotados no programa "Minha Casa, Minha Vida", que usam recursos do FGTS e do FAT como lastro das operações.

Índices

Nome

Atual

% Variação

Dow Jones Industrial Average

17.892,00

-0,83%

S&P 500 Index

2.087,10

-0,65%

Nasdaq Composite Index

4.381,00

-78,00%

Ibovespa

54.359,55

-0,58%

Índices Globais

Japão: Nikkei

19.652,88

-1.17%

China: Shanghai

4.492,08

2,22%

Hong Kong: Hang Seng

27.653,12

-0,31%

Alemanha: DAX

11.765,28

-1,95%

França: CAC 40

5.147,49

-1,47%

Londres: FTSE

6.993,95

-0,95%

Commodities

Petróleo Bruto WTI (NYM $/bbl)

$56,43

-0,49%

Ouro ($/oz)

$1.204,60

0,55%

*Valores de abertura do pregão

*DEVIDO AO FERIADO, PRÓXIMA NEWSLETTER SERÁ NA QUARTA-FERIA 22/04

Sobre a MZ (http://www.mzgroup.com/br): A MZ, empresa do Grupo Attitude, é a maior companhia independente do mundo em relações com investidores e consultoria líder em inovação no mercado de comunicação financeira. Fundado em 1999, tornou-se uma multinacional brasileira com sede em São Paulo e escritórios próprios em Austin, Chicago, Hong Kong, Nova York, Rio de Janeiro, San Diego, Sydney, Taipei e Vancouver. Dentre os serviços prestados pela MZ, destacam-se atividades relacionadas a consultoria estratégica como diagnósticos de percepção de mercado, preparação para abertura de capital, coaching de executivos e conselheiros para relacionamento com o mercado de capitais, planejamento e operacionalização de programas globais em comunicação financeira, identificação de bases acionárias e de detentores de dívida, targeting de investidores, non-deal roadshows, dentre outros. A companhia também detém uma inovadora plataforma de tecnologia e geração de conteúdo composto por websites, webcasts, aplicativos para tablets e smartphones, CRM e assembleias online, além de criação de conteúdo para relatórios anuais, de sustentabilidade e corporativos, traduções jurídico-financeiras e publicidade legal. Recentemente, a MZ foi classificada como a sétima consultoria de RI favorita no mundo e quarta na Ásia, pela revista IR Magazine.

Informações para contato:

marketing@mzgroup.com
+55 (11) 3529-3463