Bolsa

Comentários sobre o Mercado

15/04/2015

  • Na quarta-feira, os índices de futuros das bolsas dos EUA tiveram um ligeiro aumento enquanto os investidores digeriam o grande número de relatórios de resultados publicados, acompanhados por uma tímida reação ao relatório industrial abaixo do esperado.
  • O índice industrial Empire State caiu significativamente em abril, de 6,9 para 1,2 negativo em março, afirmou o Fed de Nova Iorque na quarta-feira. Essa é a primeira leitura negativa, um sinal da deterioração das condições desde dezembro.
  • Os índices fecharam em ligeira alta na terça-feira, apesar dos relatórios econômicos mais fracos do que o esperado e relatórios de resultados heterogêneos.
  • Na última terça-feira, a Intel Corp registrou um aumento de 3% nos resultados do primeiro trimestre, em linha com as expectativas dos analistas. As ações subiram 3,4% antes do sino.
  • As ações da Nokia listadas nos EUA subiram 2,3% após a fabricante de equipamentos de telecomunicações anunciarem que irão comprar a rival francesa Alcatel-Lucent por US$16,6 bilhões.
  • As ações do Google registraram perda de 0,3% após a autoridade de defesa da concorrência entrar com processo contra a empresa de busca online.
  • As ações chinesas caíram após os dados mostrarem que o PIB do país aumentou 7% no primeiro trimestre, confirmando a desaceleração do crescimento econômico.
  • Enquanto isso, na quarta-feira, conforme esperado, o Banco Central Europeu anunciou que não alterou suas taxas. Durante a coletiva de imprensa, o presidente do BCE, Mario Draghi, afirmou que o programa de compra de ativos está prosseguindo tranquilamente.
  • A presidente Dilma Rousseff indicou ontem o jurista paranaense Luiz Edson Fachin para o Supremo Tribunal Federal (STF). Ligado ao PT e aos movimentos sociais, Fachin assumirá a vaga aberta com a aposentadoria do ex¬-presidente Joaquim Barbosa há nove meses. Antes de ser empossado, Fachin precisa passar por sabatina e votação no Senado. Segundo o vice¬-presidente Michel Temer, a Dilma também decidiu nomear o ex-presidente da Câmara Henrique Alves (PMDB-¬RN) para o Ministério do Turismo, o que deve ser anunciado ainda hoje. Como parte das costuras para garantir o aval ao jurista na Casa legislativa, Dilma apresentou o nome de Fachin ao presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-¬AL), na segunda-¬feira, durante uma conversa reservada, fora da agenda oficial, no Palácio do Planalto. A nomeação de Alves para o Turismo também entrou na pauta, já que Renan é padrinho político do atual titular da Pasta, Vinicius Lages.
  • Os efeitos mais intensos do ajuste fiscal sobre o consumo e a indústria devem ter levado o Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC¬Br), que tenta reproduzir a variação mensal do Produto Interno Bruto (PIB), a registrar a terceira queda consecutiva em fevereiro, na comparação mensal, estimam economistas. A média das projeções de 15 instituições financeiras e consultorias ouvidas pelo Valor Data aponta para recuo de 0,2% do IBC¬Br entre janeiro e fevereiro, feitos os ajustes sazonais. Se confirmada, será a terceira retração seguida do índice, que caiu 0,56% em dezembro e 0,1% em janeiro, sempre em relação ao mês anterior, na série dessazonalizada. Na comparação com fevereiro de 2014, a economia deve ter encolhido 3,9%, principalmente por causa do menor número de dias úteis em fevereiro deste ano, devido ao Carnaval. No ano passado, o feriado ocorreu em março, o que influencia a comparação.
  • As condições macroeconômicas brasileiras desfavoráveis ¬ em especial os juros mais altos do que seria "razoável" ¬ vão impedir que a situação ruim da indústria brasileira, com redução da sua importância para a economia, seja revertida. Estudo realizado por Antonio Corrêa de Lacerda, professor da PUC¬SP, e por Rodrigo da Rocha Loures, presidente do Conselho Superior de Inovação e Competitividade (Conic) da Fiesp, aponta que juros altos e taxa cambial real efetiva valorizada são algumas das condições macroeconômicas sistêmicas desfavoráveis que não permitirão a recuperação do setor, e, consequentemente, do crescimento do país. "Sem resolver esse dilema ¬ sem ter uma taxa de juros mais baixa e um câmbio mais competitivo ¬, o país não conseguirá retomar o crescimento", disse Lacerda, para quem o PIB industrial deve recuar neste ano entre 2% e 3%, após já ter contraído 1,2% em 2014.
  • "O período de preço alto do minério de ferro acabou e os governos precisam ter consciência disso‘‘ , disse ontem Michael Tost, diretor de assuntos externos da Vale para Europa e América do Norte, no Fórum Global de Commodities. Os preços estão voltando aos níveis de dez ou doze anos atrás e a mineradora não deve iniciar novos projetos com essa cotação. Ele evitou fazer projeções, mencionando apenas que o Citibank recentemente previu nova queda nos preços, para US$ 40 a tonelada. Em janeiro de 2014, o valor era US$ 128. A Agência das Nações para o Comércio e Desenvolvimento (Unctad) estima que, a menos que ocorra uma grande redução da produção, o preço de minério continuará sob pressão em 2015, já que sua desvalorização tem sido causado pelo excesso de oferta dos grandes grupos internacionais.
  • A Comissão Valores Mobiliários (CVM), xerife do mercado de capitais no Brasil, concluiu que a aquisição feita pela companhia italiana Ternium da participação de 10,4% na Usiminas que pertencia ao fundo de pensão Previ criou a obrigação de os controladores da companhia realizarem uma oferta pública de aquisição de ações (OPA) para todas as ações ordinárias da empresa existentes no mercado. A informação foi veiculada ontem à noite ao mercado, em fato relevante, pela Usiminas. A compra, realizada em 02 de outubro passado, envolveu 51,39 milhões de ações ordinárias da companhia. O valor do negócio foi de R$ 617 milhões, desembolsados pelo grupo Ternium¬Techint. A Previ era acionista na siderúrgica desde sua privatização, em outubro de 1991. O parecer da CVM foi dado pela superintendência de registros da autarquia, em resposta a uma consulta feita pela Nippon Steel & Sumitomo ¬ sócia no bloco de controle da Usiminas do grupo Ternium¬Techint ¬ sobre a necessidade ou não de realização de uma OPA, devido ao aumento de participação da Ternium na companhia mineira.

Índices

Nome

Atual

%Variação

Dow Jones Industrial Average

18.011,00

-0,30%

S&P 500 Index

2.096,50

0,27%

Nasdaq Composite Index

4.407,20

0,20%

Ibovespa

54.514,55

0,99%

Índices Globais

Japão: Nikkei

19.869,76

-0,20%

China: Shanghai

4.278,58

-1,25%

Hong Kong: Hang Seng

27.618,82

0,21%

Alemanha: DAX

12.293,70

0,54%

França: CAC 40

5.258,42

0,77%

Londres: FTSE

7.106,08

0,44%

Commodities

Petróleo Bruto WTI (NYM $/bbl)

US$54,03

1,39%

Ouro ($/oz)

US$1.193,20

0,05%