Bolsa

Diferenciar aplicação é objetivo da Azimut

18/09/2014

Gestora de recursos italiana fez joint venture com duas empresas brasileiras para captar clientes concentrados nos grandes bancos e oferecer serviço especializado

A gestora de recursos italiana Azimut planeja, por meio de parcerias com consultorias e assets brasileiras, descentralizar os investimentos individuais do Brasil, hoje concentrados nos grandes bancos.

Em setembro de 2013, o grupo italiano comprou metade das ações da gestora brasileira Legan, por 3 milhões de euros (R$ 9,1 milhões), marcando sua entrada no País com a criação da AZ Legan. Em dezembro do mesmo ano, a realizou a aquisição de 50% da consultoria FuturaInvest, por 3,9 milhões de euros (R$ 11,7 milhões), culminando na criação da AZ FuturaInvest.

A ideia do é que a consultoria lidere o processo de consolidação da Azimut no Brasil, captando clientes que hoje estão nos bancos. Segundo o sócio da AZ FuturaInvest Adriano Moreno, atualmente cerca de 95% dos recursos investidos no País estão concentrados nas grandes instituições financeiras.

"O diferencial é que nossa plataforma é focada somente em investimentos: nós não oferecemos seguros, linhas de crédito ou outros produtos. Então, se nós não entregarmos retorno, não tivermos profissionais qualificados e um bom processo de asset alocation, nosso negócio não fica de pé", afirmou o executivo.

Perfil

Felipe Souto, sócio da AZ FuturaInvest, explicou que a consultoria irá focar em clientes low private - que possuem patrimônio investido entre R$ 1 milhão e R$ 3 milhões - e em wealth management, que visa a alocação de recursos das grandes fortunas.

De acordo com Souto, a AZ FuturaInvest aloca recursos na AZ Legan, que já possui o selo da Azimut, porém também em outras gestoras, como BTG Pactual e Quest Investimentos. As aplicações que podem variar desde fundos de renda fixa até ações, dependendo do perfil do investidor.

"A bola da vez são as rendas fixas com isenção fiscal, como os LCI [Letras de Crédito Imobiliário] e LCA [Letras de Crédito do Agronegócio]", apontou Moreno.

Já o profissional a AZ FuturaInvest buscará será aquele com perfil "empreendedor" - ou seja, que esteja interessados apenas em investimentos - e que gerencie uma carteira média de aplicações de R$ 200 milhões.

Consolidação

O diretor da AZ Brasil - holding da Azimut no País -, Giuseppe Perrucci, afirmou que o grupo italiano ficou cerca de dois anos pesquisando o mercado brasileiro antes de fechar parceria com a consultoria e a asset do País.
Atualmente, a AZ Brasil possui um escritório, com cerca de 70 funcionários, onde operam, de forma independente, os três braços da italiana atuantes no mercado brasileiro: AZ Brasil, AZ FuturaInvest e AZ Legan.

Autor: Pedro Garcia
Fonte: DCI