Bolsa

Captações externas alcançam US$ 40,8 bilhões em 2014

20/08/2014

As captações externas, até o início de agosto, já superaram, em volume, o montante de recursos levantado em todo ano de 2013. De acordo com o Panorama ANBIMA deste mês, as emissões internacionais de companhias brasileiras alcançaram US$ 40,8 bilhões, apesar do relativo aumento da aversão a risco por parte dos investidores internacionais a alguns países emergentes e as expectativas de mudança na trajetória das taxas dos treasuries.

Já no mercado de renda fixa, os preços dos ativos passaram a refletir o cenário de maior incerteza para o curto e médio prazos. A sinalização de estabilidade para a taxa Selic, trazida pela divulgação da ata do Copom (Comitê de Política Monetária), provocou a revisão dos preços dos ativos, com destaque para as carteiras de duration mais longas. Além disso, enquanto o IPCA de julho, que registrou 0,01%, reforçou a percepção de um cenário de inflação favorável, por outro lado, o aumento da volatilidade da taxa de câmbio trouxe dúvidas quanto à trajetória das principais variáveis do segmento para os próximos meses.

A rentabilidade dos fundos de ações, impulsionada pela valorização de 5% do Ibovespa, foi o destaque da indústria de fundos em julho, em especial dos tipos Ações FMP FGTS e Ações Ibovespa Indexado, que apresentaram altas de 10,84% e 5%, respectivamente. Quanto à rentabilidade acumulada no ano, os Fundos Renda Fixa Índices seguem apresentando a maior valorização entre os fundos com patrimônio líquido relevante (8,36%), estimulados pela alta dos ativos que compõem suas carteiras, refletida na valorização do IMA-Geral (8,52%), que espelha a carteira de títulos públicos da dívida brasileira, e, em particular, do IMA-B (10,75%), que reflete a carteira de NTN-Bs.

Fonte: Anbima