Brasil

Bandeiras buscam inovação em praticidade e segurança

29/08/2014

Com os dados do cartão cadastrados em um aplicativo do celular e armazenados em uma "nuvem", o consumidor chega ao caixa da loja e diz que quer realizar o pagamento pelo smartphone. Por meio de uma tecnologia chamada NFC (Near Field Comunication), a pessoa aproxima celular do terminal ("maquinha de cartão") e, após poucos segundos, a conta está paga. No mesmo aplicativo em que o cartão está cadastrado, o consumidor recebe uma fatura com as informações da compra, em tempo real.

Esse é um cenário que deve se tornar realidade no Brasil nos próximos anos. Com a disseminação dos smartphones e tablets, juntamente ao advento de novas tecnologias e a propagação das compras por meios eletrônicos (e-commerce), as bandeiras de cartão crédito e débito, como Visa e MasterCard, estão buscando inovações para dar mais praticidade e segurança às operações com cartão de crédito.

Em evento realizado ontem, o "Visa Inovation Day", a Visa apresentou sua versão da "nuvem", o Visa Cloud. Com ele, a bandeira poderá armazenar os dados do cartão e, por meio de aplicativos que serão de responsabilidade dos bancos, o consumidor poderá usar o celular para fazer compras. "A pessoa terá que se habilitar no banco para usar o serviço. Depois, se ela perder ou trocar o celular, ela apenas terá que baixar o aplicativo no novo aparelho e já poderá usar o serviço novamente", ressaltou Daniel Andrade, diretor de mobile da Visa do Brasil, atualmente presidida por Rubén Osta.
Em junho, a Visa iniciou uma parceria com o Banco do Brasil e a tecnologia já foi disponibilizada para clientes selecionados - a previsão é que em 2015, o sistema comece a se popularizar. Segundo Andrade, já existem hoje cerca de 1,5 milhão de terminais com a tecnologia NFC espalhados por lojas do País. O diretor explicou que a tecnologia está estado de "hibernação" e, a medida que a novidade for divulgada, poderão começar a ser utilizadas pelos lojistas. Do lado dos smartphones, estima-se que 25% do total de aparelhos possuam NFC.

A MasterCard também está investindo no mercado e já anunciou o MasterPass, que, assim como a concorrente, contará com uma tecnologia de nuvem para armazenamento dos dados. De acordo com diretor de Convergência Digital da MasterCard, Marcelo Theodoro, a tecnologia será lançada no e-commerce, mas também apresentará mais soluções, com o NFC. A previsão é que a tecnologia comece a operar ainda em outubro deste ano.
A bandeira já possui parceria com o Barinsul e a Caixa Econômica Federal, porém, segundo Theodoro, existem parcerias com outras instituições financeiras que serão anunciadas em breve. "Entregamos a plataforma para os bancos. Agora, eles têm que colocar a sua marca e comercializá-la. Eles ainda estão decidindo quando irão lança-la", explicou. "É importante ressaltar que o MasterPass não terá custos para os lojistas nem para os consumidores", completou.

Para aumentar a segurança das transações, a Visa e a MasterCard também irão utilizar a "tokenização", um mecanismo que irá criptografar os dados do usuário armazenados na nuvem e gerar um número - o "token" -, que será utilizado nas transações no lugar do número real do cartão e ajudará a evitar fraudes. Paralelamente a esse sistema, a Visa também otimizou o serviço de autenticação para compras no e-commerce, criando mecanismos que garantem mais segurança nas transações online.

"A autenticação vai funcionar, mais ou menos, como um reconhecimento de firma. Por meio de uma série de dados, como o perfil de compras do consumidor, o local onde a compra está sendo feita, o valor da compra, entre outros, vai dar para saber se pessoa que está fazendo a compra é ela mesmo", explicou o diretor de chip e autenticação da Visa, Alessandro Rabelo.

Um mecanismo que também está surgindo como opção aos cartões tradicionais são os cartões pré-pagoss, que permitem aos consumidores criarem um conta especifica para o cartão - que não é necessariamente vinculado ao sistema bancário - e adicionar crédito nessa conta para utilização no varejo ou no e-commerce. "Com esse cartão, você não expõe seus dados e protege seu limite bancário, em caso de roubo, por exemplo. Só poderá ser utilizado o saldo que tiver na conta do cartão", afirmou o diretor de tecnologia da VMX 360, que oferece o cartão E-commerce Card. "Além disso, fica mais fácil gerenciar e controlar o orçamento", completou.

Autor: Pedro Garcia
Fonte: DCI