Brasil

Saiba identificar se um ingresso da Copa do Mundo é falso ou verdadeiro

25/06/2014

Ingressos vendidos por cambistas podem não funcionar na catraca.

Fifa recomenda que ingressos sejam comprados apenas no site oficial.

Muitos dos milhões de ingressos de jogos da Copa do Mundo estão circulando pela internet e nos arredores dos estádios nas 12 cidades-sedes em busca das mãos ávidas de quem decidiu de última hora ir a uma partida. Até a última sexta-feira (20), 104 cambistas haviam sido detidos pelas polícias locais em nove cidades-sede, segundo levantamento feito pelo G1. Nos bolsos deles foram encontrados pelo menos 240 ingressos e milhares de reais e dólares.

Na segunda-feira (23), 350 ingressos verdadeiros e 50 falsos foram apreendidos nos arredores do Estádio Mané Garrincha, em Brasília, antes do jogo entre Brasil e Camarões (veja ao lado reportagem do Jornal Nacional). Mais cedo, em São Paulo, três homens foram detidos tentando vender ingressos. Com eles a polícia encontrou 16 entradas.

São poucas as partidas para as quais ainda é possível comprar entradas pelo site oficial da Fifa, e por isso muita gente acaba arriscando a compra no mercado paralelo. Mas, além de a venda de ingressos por valor acima do estampado no bilhete ser ilegal, nem todos os ingressos vendidos nesse mercado paralelo cada vez mais caro podem funcionar na catraca dos estádios.

De acordo com a assessoria de imprensa da Fifa, a média de ingressos falsos recolhidos nas catracas desta edição da Copa do Mundo é de entre 20 e 30 por partida.

Além da possibilidade de que o ingresso seja falsificado, quem compra as entradas nas mãos dos cambistas pode estar comprando um ingresso furtado ou que já tenha sido cancelado pela Fifa. Segundo a assessoria de imprensa da federação, em todas as cidades-sede investigações estão sendo feitas para deter cambistas. Quando um deles é pego com um ingresso, a Fifa consegue verificar no sistema se essa pessoa comprou outros ingressos, e cancelar todos eles. "Os ingressos que se originam a partir de fontes não autorizadas não são válidos e podem resultar no torcedor sendo barrado na entrada dos jogos."

A Fifa diz em nota que "a única fonte oficial de ingressos para a Copa do Mundo da FIFA é o site www.fifa.com, além dos Centros de Ingressos nas sedes. Quem se deparar com qualquer site ou empresa que ofereça ou promova ingressos para a Copa do Mundo da FIFA Brasil 2014 deve primeiro verificar conosco pelo e-mail enforcement@match-ag.com antes de realizar qualquer transação não autorizada".

A Fifa diz que só vai divulgar o número total de ingressos cancelados após o mundial.

Como identificar um ingresso falso

A Fifa diz que não revela todos os detalhes usados para separar um ingresso falso de um verdadeiro, mas diz que as entradas têm pelo menos dez elementos que mostram sua veracidade. No topo esquerdo, na parte branca, cada ingresso tem o número de cada partida, que pode ser verificado na tabela da Copa. Há também o nome dos times que se enfrentam, ou a colocação dos times nas chaves, no caso das fases eliminatórias da Copa.

Os ingressos também devem vir, na parte central, com a data, o horário e o endereço completo do estádio. além da categoria comprada e o preço correspondente. Os que forem comprados por pessoas físicas incluem ainda o nome completo do comprador. Abaixo estão os detalhes sobre o assento referente à entrada, para facilitar a mobilidade dos torcedores dentro do estádio.

À direita, sobre a linha picotada, há um holograma prateado e brilhante. Mas muitos torcedores confundem esse com o chip do ingresso. Na verdade, o equipamento eletrônico onde é feita a leitura do bilhete na catraca está em formato retangular bem no centro do ingresso. É por isso que a Fifa recomenda que ele não seja dobrado.
Houve casos, segundo a assessoria de imprensa da Fifa, de pessoas que compraram de cambistas ingressos destinados à imprensa, e foram barrados na catraca porque, além do ingresso especial, todos os jornalistas precisam apresentar uma credencial feita pela Fifa para entrar no estádio.

A Fifa diz que não é obrigatório que todos os torcedores apresentem documento de identidade na catraca, mas os funcionários estão orientados a buscar inconsistências, como, por exemplo, uma pessoa jovem de posse de um ingresso para idosos. Por isso, é preciso carregar um documento caso seja necessário comprovar a identidade.

Um torcedor que comprou de cambistas um ingresso em Brasília para um jogo de baixa procura pagou até um valor inferior do que estava no ingresso. Ele disse ao G1 que, na hora em que o ingresso foi colocado próximo ao leitor da catraca, ele demorou vários segundos para funcionar. "Eles esfregam o tíquete bem pelo meio, onde está o chip. O meu demorou uns 10 segundos, fiquei tenso, porque era de cambista", afirmou.

Segundo ele, o ingresso não tinha nome de pessoa física, mas sim o da federação de um dos países que jogava naquele dia, e acabou em um lote desviado e vendido no entorno do Estádio Mané Garrincha.

Fonte: G1