Brasil

Aposta do mercado financeiro é no gol!

10/06/2014

Está chegando o grande dia. Eu não sei você, mas eu já comprei bandeira nova, camiseta, assessórios para as crianças, milho para pipoca e muita maracujina para assistir ao jogo de abertura da Copa do Mundo entre Brasil e Croácia. No mercado financeiro a preparação também já começou. Um pouco diferente da nossa caseira.

Nesta antevéspera de Copa, analistas, operadores e economistas têm divulgado estudos e estatísticas sobre os jogos, os possíveis campeões e também sobre o comportamento do mercado durante o período dos jogos.

A consultoria Economatica foi olhar o que aconteceu com a Bovespa durante os campeonatos desde 1970. Descobriram que nas 11 Copas realizadas desde então, a Bovespa em dólares perdeu em sete vezes e ganhou em quatro. Nos mundiais em que o Brasil foi campeão, a Bovespa só valorizou em 1994 - foi uma Copa sofrida, não? Mas bem positiva para quem investiu na bolsa - alta de 19,06%, segundo a Economatica.

Na ponta das perdas, a Bovespa desvalorizou 24% em 2002, quando o Brasil foi pentacampeão. Nem a euforia com a performance dos jogadores em campo conseguiu ganhar do mau humor dos investidores com o país. Vivíamos uma crise de confiança e os ativos financeiros perderam muito naquele ano, não foi diferente para a bolsa de valores.

Lá de Londres, dois analistas do alemão Deutsche Bank preparam um relatório com estatísticas dos possíveis campeões. Com metodologia livre e criativa, eles concluíram que a Inglaterra é a favorita para vencer a Copa do Mundo.

"Nós adotamos um modelo quantitativo para prever o vencedor da Copa do Mundo e aplicamos argumentos bem razoáveis para encontrar o provável campeão. Graças à larga presença dos jogadores do Liverpool no time, a Inglaterra se torna a nossa predileta. O fato de um dos autores (do relatório) torcer para os dois times é mera coincidência", diz o relatório do Deutsche.

Segundo os ingleses, claro que o Brasil tem mais chance de ganhar, junto com Alemanha, Espanha e França. "Mas seria um resultado chato e convencional", por isso eles apresentam uma opção. Eles reforçam sua aposta com um argumento "intrigante". A única vez que a Inglaterra foi campeã mundial, em 1966, o time inglês estava "dominado" pelos jogadores do Liverpool.

O Brasil também tem bons e intrigantes argumentos para ser o vencedor. Um deles é estar em casa. Para o mercado financeiro, dia de jogo também será dia de fazer pausa nas análises e concentrar as apostas em um só ativo: o gol!

Fonte: G1