Mundo

Comércio exterior de Dubai alcança AED 1,329 trilhão em 2013

10/03/2014

Com um novo pico para o comércio exterior não petrolífero em 2013, o crescimento acelerado de Dubai no comércio exterior culmina com um volume de AED 1,329 trilhão, alcançando um aumento de AED 94 bilhões do valor de 2012, que totalizou AED 1,235 trilhão.

Neste contexto, o príncipe herdeiro de Dubai e presidente do Conselho Executivo de Dubai H.H. Sheikh Hamdan bin Mohammed bin Rashid Al Maktoum elogiou o desempenho notável do setor do comércio não petrolífero em Dubai, que ecoa o crescimento contínuo de todos os setores em Dubai e nos Emirados Árabes Unidos como um todo. H.H. Sheikh Hamdan atribuiu este avanço positivo à sábia liderança do vice-presidente dos Emirados Árabes Unidos, o primeiro-ministro e governador de Dubai H.H. Sheikh Mohammed bin Rashid Al Maktoum e sua presença constante para garantir a disponibilidade de todos os elementos que suportam o o crescimento progressivo e sustentado para as entidades locais, regionais e internacionais que operam a partir dos Emirados Árabes Unidos.

H.H. Sheikh Hamdan afirmou que Dubai está dando um grande passo à frente com o anúncio da iniciativa "Smart Dubai", que visa elevar a fasquia na melhoria do desempenho global dos setores do governo de Dubai e impulsionar o setor econômico em particular. O príncipe herdeiro de Dubai pediu aos líderes e executivos em setores do governo de Dubai para não deixarem pedra sobre pedra em busca de novas oportunidades para fortalecer ainda mais o desempenho e definir Dubai como uma referência internacional para o desenvolvimento e prosperidade, além de seu papel como elo fundamental nas rotas comerciais globais.

Elogiando os esforços genuínos das entidades do governo de Dubai, H.H. Sheikh Hamdan expressou confiança em sua capacidade de produzir ideias e iniciativas ainda mais inovadoras como parte de uma grande equipe trabalhando para atingir os objetivos inspirados pela visão de H.H. Sheikh Mohammed bin Rashid formando o futuro de um país que celebra o desenvolvimento, modernização e sucesso.

O comércio exterior tem conseguido acompanhar a nova onda econômica de Dubai, com base em uma diversidade maior de crescimento, onde vários setores econômicos contribuem com taxas convergentes. Em resposta a este grande salto no desempenho econômico, o comércio exterior atinge uma taxa de crescimento que excede em duas vezes a previsão de crescimento do comércio mundial de 2,5% da OMC.

Este desempenho econômico crescente certamente solidifica a posição de Dubai na vanguarda do cenário econômico global. A concessão do direito de sediar a Expo 2020 é uma prova clara da confiança da comunidade internacional na capacidade econômica de Dubai e, com os preparativos para tal ocasião, considerada a maior e mais celebrada exposição comercial internacional do mundo, o emirado entra em uma nova etapa de aumento contínuo de novos picos de desempenho e realização. Isto tornará Dubai um líder regional e um concorrente internacional de acordo com todos os indicadores globais, principalmente no que diz respeito à competitividade, confiança e felicidade.

"Somos movidos pela visão abrangente e perspicaz de H.H. Sheikh Mohammed bin Rashid Al Maktoum, vice-presidente dos Emirados Árabes Unidos e primeiro ministro e governador de Dubai, sobre a natureza da nova etapa do curso econômico de Dubai", disse Ahmed Butti, presidente-executivo de Portos, Alfândegas e Corporação de Zona Livre e diretor geral da Alfândega de Dubai. "Estamos prontos para desenvolver e implementar uma estratégia de trabalho criativa que seja capaz de acompanhar o ritmo da fase em que Dubai embarca com um papel mais proeminente na economia global, por meio do desenvolvimento da capacidade do emirado na ligação eficiente com os mercados regionais e internacionais. Com base na sua infraestrutura avançada e aumentando as vantagens competitivas, o emirado servirá como porta de entrada para os mercados que praticamente se estendem por todo o mundo."

O Sr. Butti continuou: "Em linha com o papel fundamental de Dubai no comércio global, trabalhamos para desenvolver uma gama de serviços da Alfândega de Dubai a fim de responder de forma eficiente à expansão do mercado global. O crescimento do comércio exterior de Dubai de 8% reflete a capacidade do emirado de melhorar as suas relações comerciais em todos os níveis. As importações do emirado viram um aumento de AED 74 bilhões para chegar a AED 811 bilhões em 2013, na comparação com AED 737 bilhões em 2012. Por outro lado, as exportações e reexportações aumentaram em AED 20 bilhões, com um valor total de AED 518 bilhões, na comparação com AED 498 bilhões registrados no ano passado."

Além disso, o comércio direto de Dubai com o mundo exterior subiu para AED 846 bilhões, acima dos AED 808 bilhões. O volume de comércio das zonas francas de Dubai registraram AED 467 bilhões, na comparação com AED 417 bilhões. O comércio no depósito da Alfândega subiu de AED 10 bilhões para AED 16 bilhões.

"Nós da Alfândega de Dubai temos uma determinação incansável para promover o nosso desempenho, a fim de manter o ritmo com o papel de Dubai no comércio global", disse o Sr. Butti, acrescentando que "A Alfândega de Dubai está ansiosa para fornecer serviços de alta qualidade para os comerciantes e investidores, reduzindo o tempo e esforço despendidos na realização de operações, garantindo assim que um valor real seja adicionado desde a escolha de Dubai como destino comercial. Isso também aumenta a capacidade do emirado de atrair o maior crescimento do comércio sustentável, que utiliza de forma eficiente o seu desempenho econômico global. Em 2013, e em resposta à iniciativa do Governo Inteligente lançado pelo H.H. Sheikh Mohammed bin Rashid Al Maktoum, a Alfândega de Dubai foi a primeira entidade do governo a se transformar em um governo totalmente inteligente."

Durante 2013, Dubai manteve uma relativa diversidade em seus mercados externos. A Índia é a principal entre os parceiros comerciais de Dubai com um volume de comércio total de AED 137 bilhões que representa uma participação de 10%. A China vem em segundo lugar com um valor de AED 135 bilhões que representa cerca de 10%. Os EUA é o terceiro com AED 86 bilhões, ou seja, uma participação de 6%. A Arábia Saudita sobe para a quarta posição, com uma participação total de 4% no valor de AED 56 bilhões e o Reino Unido, com uma participação total de cerca de 4% respondendo por AED 54 bilhões.

Com relação às importações de Dubai, a China lidera a lista de parceiros comerciais seguida pelos EUA e Índia. Quanto às reexportações, a Arábia Saudita vem em primeiro lugar, seguida pela Índia e o Iraque. A Índia, Turquia e Suíça são, respectivamente, os principais parceiros de Dubai em termos de exportações.

Contatos: Sura Manhal +971(50)3803852 - sura.manhal@dubaicustoms.ae

FONTE Dubai Customs/PRNewswire